Desporto

"Os tempos são desafiantes, mas não são tempos de divisões"

Antigo jogador é o novo presidente do clube da Luz.


Rui Costa falou, esta sexta-feira, pela primeira vez, como presidente do Sport Lisboa e Benfica.

A partir do relvado do estádio da Luz, o antigo jogador assume que “são tempos desafiantes”, mas lembra que não são tempos de “divisões”.

“Sou a partir de hoje presidente do Sport Lisboa e Benfica, na exata medida dos estatutos do clube. Assumo esta liderança com o mesmo orgulho, paixão e compromisso com que vesti pela primeira vez a camisola do nosso Benfica”, começou por dizer em declarações aos jornalistas.

“Resolvi fazer a minha apresentação enquanto presidente, no meio do relvado, onde com a nossa camisola vivi os momentos mais felizes da minha vida. Sei a responsabilidade que hoje assumo, sei o que os benfiquistas esperam de mim, de quem está nesta posição, e tudo farei, tudo darei de mim para que o clube seja cada vez maior”, frisou.

“Os tempos são desafiantes, mas não são tempos de divisões, são tempos de nos unirmos em prol daquilo que é mais importante, o Sport Lisboa e Benfica. As nossas prioridades são a preparação das épocas desportivas, quer do futebol, quer das modalidades, com a maior das ambições Este será sempre o meu foco. Este será sempre o meu lema: ganhar”, acrescentou.

Rui Costa terminou o seu discurso com uma mensagem de “confiança”.

“Quero também transmitir uma mensagem de confiança aos nossos colaboradores, aos parceiros comercias e financeiros, mas acima de tudo aos nossos sócios. O mesmo enquanto presidente da SAD aos nossos obrigacionistas. Continuaremos a honrar, como sempre fizemos até aqui, os nossos compromissos. Saberei ouvir as mensagens dos benfiquistas, pondo sempre os interesses do clube à frente de qualquer coisa que apareça. Serei sempre um de vocês. Quero um Benfica forte, unido e trabalharei diariamente para que isso aconteça. Viva o Benfica”, rematou.

Recorde-se que Rui Costa assumiu hoje presidência do Sport Lisboa e Benfica “com efeitos imediatos”. A decisão foi tomada numa reunião de emergência da direção, depois de Luís Filipe Vieira suspender as suas funções no clube da Luz.