Desporto

Atletas de ouro de volta a casa

As atletas do Acro Clube da Maia trouxeram no passado fim de semana para Portugal a primeira medalha de ouro na modalidade de ginástica acrobática, categoria de pares. O orgulho é notório.


Do Acro Clube da Maia para Genebra, na Suíça, Rita Ferreira e Ana Rita Teixeira fizeram aquilo que mais nenhum atleta português tinha feito até hoje: trouxeram para casa o título mundial na modalidade de ginástica acrobática, categoria de pares femininos. O feito aconteceu no passado domingo, 4 de julho.

As atletas – Rita com 20 anos e Ana com 17 – treinam no clube que as levou ao Mundial de Ginástica Acrobática desde novas, sendo que a mais jovem começou com 9 anos e a mais velha com 6. 

Ao chegarem ao aeroporto Sá Carneiro de ouro ao pescoço, Rita Ferreira relembrou as dificuldades por que passaram ao treinar durante a pandemia: «Trabalhar este ano foi um bocado mais complicado do que nos outros anos porque houve uma pandemia e nós tivemos de para durante algum tempo os treinos em conjunto». A estudante de medicina referiu no entanto que aquando do regresso, as atletas voltam «mais fortes» e prontas para apostar em exercícios mais desafiantes e com um maior grau de dificuldade.

Em conjunto, Rita e Ana conquistaram o ouro com 29.120 pontos, deixando para segundo lugar as norte-americanas Emily Davis e Aubrey Rosilier com 28.580 pontos e para terceiro lugar as russas Diana Korotaeva e Amina Omari, com 28.520 pontos.

As atletas mostraram-se felizes com a conquista, tendo Ana Teixeira afirmado que estar ali sempre foi um dos seus «maiores sonhos e que ainda não parece realidade». A aluna do 12º ano disse ainda que o par trabalhou «muito para estar» ali, salientando que fosse qual fosse o resultado, ficaria satisfeita.

Rita Ferreira reforçou o sentimento transmitido pela colega, dizendo que se sentem «muito orgulhosas» pelo esquema apresentado na prova final: «Correu como queríamos, até porque demos tudo. Treinámos muito para isto e por isso é um orgulho ter conquistado a primeira medalha para Portugal, em seniores, no Campeonato do Mundo, e cumprir o nosso sonho».

Rita Ferreira é das ginastas portuguesas mais medalhadas, tendo conquistado o ouro nos Europeus juniores de 2017 e nos Mundiais de 2016 e 2018. Em 2014, a atleta conquistou ainda a medalha de bronze no Mundial como juvenil.

E como não é de estranhar, o Presidente da República rapidamente veio felicitar as atletas pelo feito histórico. «Este é o corolário do trabalho e dedicação de atletas, treinadores, equipas técnicas, dirigentes e familiares, que faz auspiciar continuados sucessos para a modalidade. Mais uma participação, muito bem-sucedida, de Portugal em competições de ginástica que merece o reconhecimento do Presidente da República em nome de todos os portugueses», disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Esta foi mais uma vitória para as duas Ritas, que já tinham conquistado a medalha de ouro na Taça do Mundo de Ginástica Acrobática, em 2019, o ouro da prova de all-around, o título de campeãs da Europa e a prata na final de equilíbrio no Europeu de Ginástica Acrobática, em Israel.

Além da medalha de ouro conquistada pelo duo, Portugal teve ainda direito a mais um lugar no pódio. O trio composto pelas atletas Barbara Sequeira, Francisca Maia e Francisca S. Maia trouxe para casa a medalha de bronze na final da categoria grupo feminino.

«Nos últimos anos a ginástica nacional tem vindo a dar cartas em eventos internacionais deste calibre, o que demonstra uma evolução certeira não apenas dos praticantes, mas também dos treinadores e restantes técnicos envolvidos no processo», referiu em comunicado a Federação de Ginástica de Portugal. A seleção portuguesa esteve representada por 14 atletas, a competir nas categorias de grupo feminino, par masculino, par misto e par feminino.