Economia

Covid-19. Hotelaria e lazer são os setores mais afetados pela crise

Dados fazem parte do mais recente relatório da Intrum.


O setor da hotelaria e lazer (64%) foi a indústria onde as margens de lucro foram mais afetadas pela crise gerada pela pandemia de covid-19. Os dados foram divulgados pela Intrum e constam no seu mais recente relatório – EPR: European Payment Report 2021, com foco nos riscos de pagamento das empresas a nível nacional e internacional no período pós pandemia.

 Depois deste setor, seguem-se, entre os mais afetados os serviços empresariais (56%), energia, extração mineira e utilities (50%) e Governo e Setor Público (50%). A indústria menos afetada é dos transportes e logística, que registou apenas uma percentagem de apenas 5%.

 O setor mais afetado encontra-se também no top 5 das Indústrias que consideram que uma recessão terá um impacto negativo na sua empresa, com 86%. O top 5 é ainda composto pelos setores da energia, extração mineira e utilities (86%), imobiliário e construção (88%), Governo e Setor Público (90%) e em primeiro lugar e com perspetiva mais negativa, o setor da tecnologia, comunicação social e telecomunicações (92%).

 Este relatório da Intrum fez ainda o levantamento dos setores que mais demoram a pagar as suas faturas. Em primeiro lugar estão as empresas dos transportes e logística são as que mais tempo demoram a pagar as suas faturas, com um total de 78 dias, mais 12 dias do que em 2020 e mais 14 dias que a média europeia. Segue-se a indústria da energia, extração mineira e utilities com um total de 66 dias, mais 10 dias que em 2020 e o setor da tecnologia, comunicação social e telecomunicações com um total de 60 dias, mais 6 dias que em 2020.

 Já o setor da hotelaria e lazer demora 56 dias a pagar as suas faturas, menos 6 dias que em 2020.

 Também o setor da indústria farmacêutica, medicina e biotecnologia foi um dos que revelou uma melhoria no tempo de pagamento das suas faturas, passando de 58 dias em 2020 para 47 dias em 2021. O setor financeiro é o que demora menos tempo a pagar as suas faturas, com os bancos, serviços financeiros e seguros a cumprir os seus pagamentos em 32 dias em 2021, menos um dia que em 2020.