Sociedade

Ordem dos Médicos quer incluir mortes e internamentos na matriz de risco da covid-19

A nova matriz traduzir-se-á numa “fotografia diária e real daquilo que está a acontecer”, sendo “absolutamente essencial”.


A Ordem dos Médicos apresentou, esta quarta-feira, uma proposta para a nova matriz de risco da covid-19, que consiga avaliar o impacto do vírus. Além do rácio da transmissibilidade (RT) e da taxa de incidência, a matriz – desenvolvida em parceria com o Instituto Superior Técnico – acrescenta o número de mortes diárias e o número de internamentos em enfermaria e em Unidades de Cuidados Intensivos.

Em conferência de impressa, o bastonário Miguel Guimarães sublinhou que a nova matriz traduzir-se-á numa “fotografia diária e real daquilo que está a acontecer”, sendo “absolutamente essencial”.

A matriz – que poderá vir a chamar-se Indicador de Avaliação do Estado da Pandemia – irá permitir “acompanhar a pandemia de perto e ver o que se pode fazer em cada momento”.

O responsável avançou ainda que a nova matriz “vai seguir hoje mesmo para a ministra da Saúde”.

Em declarações aos jornalistas, Miguel Guimarães salientou que “Portugal tem sido um exemplo na vacinação na União Europeia” e “também têm sido um exemplo os cidadãos que têm aceitado ser vacinados” e deixou um “agradecimento público” à task-force responsável pelo plano de vacinação pelo “trabalho magnífico que tem feito”.