Sociedade

Terceira dose da vacina? EMA e ECDC dizem que "é demasiado cedo" para tomar uma decisão

"Não há dados suficientes das campanhas de vacinação e dos estudos em curso para compreender quanto tempo durará a proteção contra as vacinas", afirmam as entidades.


A Agência Europeia do Medicamento (EMA) e o Centro Europeu para o Controlo de Doenças (ECDC) afirmaram, esta quarta-feira, que “é demasiado cedo” para tomar uma decisão sobre a necessidade de administrar uma terceira dose contra a covid-19.

“Atualmente, é demasiado cedo para confirmar se e quando será necessária uma dose de reforço para as vacinas covid-19, porque ainda não há dados suficientes das campanhas de vacinação e dos estudos em curso para compreender quanto tempo durará a proteção contra as vacinas, considerando também a propagação de variantes”, lê-se num comunicado conjunto.

No entanto, admitem que já estão a trabalhar com os peritos de cada Estado-membro para perceber se há ou não necessidade de uma terceira dose.

"Quaisquer novas provas que se tornem disponíveis sobre este tópico serão rapidamente revistas. Os dados de eficácia no mundo real da Europa e de outras partes do mundo são de particular interesse para complementar os dados de ensaios clínicos que investigam as doses de reforço", acrescentam.

Recorde-se que, recentemente, a OMS considerou ser "desnecessária" a administração de uma terceira dose, chegando mesmo a falar em "ganância" e a criticar a discusão sobre um reforço de uma vacina extra quando há países que ainda receberam qualquer fármaco.