Sociedade

Polícias agredidos em bairro de Oeiras afastaram agressores com disparo para o ar

Os dois agentes detiveram o indivíduo, que "começou a gritar, chamando outros familiares e habitantes do bairro", que atiraram garrafas e pedras.


Dois polícias foram cercados e agredidos, na terça-feira, por 20 a 30, pessoas, quando estavam a deter um homem num bairro de Oeiras, no concelho de Lisboa, tendo disparado para o ar para dispersar o grupo, anunciou, esta sexta-feira, a PSP em comunicado.

A PSP adiantou que dois polícias à civil fiscalizavam uma viatura suspeita no bairro dos Barronhos, cerca das 22h30 de terça-feira, quando foram abordados por um homem, referenciado noutras situações criminais, que, "sem motivo aparente, começou a injuriar e a empurrar os polícias".

Os dois agentes detiveram o indivíduo, que "começou a gritar, chamando outros familiares e habitantes do bairro", segundo as autoridades.

Os polícias foram então cercados por um grupo de 20 a 30 pessoas, que atiraram garrafas e pedras contra os agentes para tentar libertar o detido.

"Quando um dos polícias se encontrava a encaminhar o detido para viatura policial foi violentamente agredido com pontapés nas costas, pelo que, perante este cenário, o outro polícia empunhou a arma que tem distribuída pela PSP, efetuando um disparo para o ar por forma a fazer cessar aquela agressão grave e ilícita e dispersar o grupo de agressores", explicou a PSP, na mesma nota, salientando que o disparo não provocou "danos ou ferimentos a terceiros e surtiu o efeito desejado, tendo o grupo dispersado".

Por último, a PSP sublinhou que os agressores não foram detidos, tendo sido “identificados e referenciados", estando "a ser ultimadas as diligências processuais necessárias" para que o caso seja entregue ao Ministério Público de Oeiras.