Sociedade

Julho com mais mortes associadas à covid-19

Nos primeiros 15 dias do mês morreram 93 pessoas com covid-19, depois de um balanço de 76 mortes em junho.


Era suposto serem os meses de virar da página, mas com a explosão de infeções associada à variante delta voltaram a aumentar os óbitos associados à covid-19. Desde o início do mês registaram-se 93 óbitos associados à pandemia, depois de em junho terem ocorrido 76 mortes.

Maio tinha sido o mês com menos vítimas mortais desde o início da epidemia, com 49 mortes. Os dados disponibilizados pela DGS, que o Nascer do SOL analisou, mostram que, tal como nos últimos meses, mais de 90% dos doentes tinham mais de 60 anos, a maioria mais de 80.

Proporcionalmente ao número de casos, foram menos do que seria expectável antes da vacinação, com uma taxa de letalidade progressivamente mais baixa. As mortes por covid-19 representaram nos últimos 14 dias 2% dos óbitos a nível nacional, quando chegaram a ser um terço no pico da epidemia no fim de janeiro. Mas a subida do número de óbitos mostra como o aumento de incidência, dominado pelos contágios nas faixas etárias mais novas, se traduz ainda num aumento das mortes.

Esta semana deverá voltar a ser batido o número de infeções entre idosos, chegando-se aos 300 casos de infeção em maiores de 80. Em maio, no momento de maior controlo da epidemia, chegaram a ser um terço. Há agora 18 surtos em lares, quando no fim de junho eram quatro.