Politica

CDS-PP exige "respostas rápidas e eficazes para resolver o problema em Almada" ao MAI

"É inqualificável a acção de um ministro que já demonstrou que não tem as mínimas condições para continuar no cargo", lê-se no comunicado.


Depois da ocorrência de um assalto a uma pizzaria no Monte de Caparica (Almada), na passada sexta-feira, que terminou com a fuga bem sucedida dos ladrões por não existir nenhuma patrulha da GNR disponível para se deslocar ao estabelecimento, o CDS-PP exigiu, hoje ao Ministério da Administração Interna (MAI) "respostas rápidas e eficazes para resolver o problema em Almada".

É de salientar que tanto o Correio da Manhã como o Diário do Distrito realçaram que somente existe um elemento em cada posto do Destacamento de Almada durante a noite. Este panorama torna, por vezes, impossível a deslocação ao local de uma ocorrência. "A Concelhia de Almada do CDS-Partido Popular vem mais uma vez alertar para o facto da continua inércia e falta de solução por parte do Ministro da Administração Interna, para resolver os problemas da falta de efectivos operacionais e de meios materiais nas forças de segurança do concelho, em concreto da GNR", lê-se no comunicado publicado na rede social Facebook.

Na mesma nota é referido que "este problema detectado há muito no terreno junto da GNR pela concelhia de Almada do CDS-Partido Popular, persiste e parece não ter resolução por parte do Governo que promete muito mas nada concretiza colocando em risco a operacionalidade dos agentes de segurança e a segurança das populações". Deste modo, o partido evidencia que "a falta de um novo posto da GNR no Monte da Caparica que possa substituir o degradado posto da Trafaria, a falta de efectivos nos postos da mesma força no concelho de Almada tal como a transferência do destacamento territorial de intervenção sediado no costelo de Almada e que tarda em passar para a Charneca da Caparica, são entre outras as falhas do Ministro da Administração Interna para com os almadenses e os militares da GNR que têm como missão proteger as pessoas". 

Reconhecendo que "é inqualificável a acção de um ministro que já demonstrou que não tem as mínimas condições para continuar no cargo", o CDS-Partido Popular Almada deixa claro que "continuará ao lado das populações e ao lado das reivindicações das forças de segurança exigindo por parte dos responsáveis da resolução dos problemas com muita urgência".