Desporto

Bucks vencem Suns e conquistam anel, 50 anos depois

Os Milwaukee Bucks bateram os Phoenix Suns por 105-98, no sexto jogo das finais, e asseguraram o título que lhes fugia desde 1971.


Parece que a aposta de Kareem Abdul-Jabbar, antigo jogador dos Milwaukee Bucks, foi certeira. O nome lendário da Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA) lançou uma moeda ao ar e previu que os Bucks venceriam a final da NBA, jogada à melhor de sete, em seis jogos, e assim foi.

Naquele momento, os Phoenix Suns lideravam no marcador por 2-0, após terem vencido os primeiros dois jogos da série. Os Bucks, no entanto, não se deram por vencidos, e conseguiram dar uma incrível reviravolta no marcador, vencendo os dois jogos realizados em Milwaukee, mais um em Phoenix e, para selar a conquista do anel, mais uma vitória, desta vez em casa, por 105-98.

E, tal como durante praticamente toda a série, Giannis Antetokounmpo foi o homem do momento. O grego marcou 50 pontos no jogo 6, para além de 14 ressaltos e 2 assistências. O desempenho valeu-lhe, numa mão, o troféu Larry O’Brien, dado à equipa campeã da NBA, e, noutra, o troféu de MVP (melhor jogador) das Finals, que terá tido um sabor ainda mais especial, considerando os momentos de ansiedade que o grego viveu ao sofrer uma lesão na perna, durante a final da Conferência Este, que o deixou fora durante dois jogos. Temeu-se o pior, mas Giannis recuperou e voltou mais forte do que nunca.

Aliás, Antetokounmpo bateu vários recordes na madrugada de quarta-feira: conquistou, na mesma época, os prémios de melhor jogador da fase regular, das finais e de defesa do ano, algo só alcançado, até agora, por Michael Jordan e Hakeem Olajuwon. O grego tornou-se também no segundo jogador da história a marcar mais de 40 pontos e 10 ressaltos em três jogos das finais.

Os Bucks tornaram-se na quinta equipa a vencer as finais da NBA após estar a perder por 2 a 0, e a primeira a vencer os quatro jogos seguintes desde 2006.

Para trás, no entanto, ficaram uns Phoenix Suns que sonhavam com o seu primeiro título nacional, depois de ter perdido as finais de 1976, 1993, e, agora, de 2021. Chris Paul ainda conseguiu assegurar 26 pontos neste último jogo da série, mas não foi o suficiente para permitir respirar à equipa de Phoenix, que até se tinha colocado em vantagem nos primeiros dois jogos das Finals.

“Há uma dor que vai com o fim da temporada”, disse o técnico dos Suns, Monty Williams. “Mas eu nunca tinha lidado com isso e estou grato, como disse, mas sei que vai doer por um tempo”, acrescentou, citado pela própria NBA.

Do outro lado da moeda, no entanto, Mike Budenholzer, técnico dos Bucks, comentou radiante a vitória que a equipa não saboreava há 50 anos. “Acho que é apenas um crédito para os jogadores”, disse. “Nós temos pressionado. Temos tentado melhorar. Os jogadores abraçam tudo. Eles são incrivelmente treináveis. Eles pegam, embebem e fazem o melhor”, elogiou o mesmo.

As ruas de Milwaukee encheram-se de adeptos que aproveitaram a noite para celebrar o anel, ao mesmo tempo que os alarmes soaram na cidade, onde três indivíduos acabaram feridos por disparos, em tiroteios que aconteceram ao longo da noite e cuja origem as autoridades locais desconhecem.