Internacional

EMA autoriza vacina da Moderna para jovens a partir dos 12 anos

A vacina da Moderna é a segunda a receber a aprovação da EMA para administração a menores de 18 anos. A farmacêutica Pfizer foi a primeira obter a autorização em maio deste ano.


A vacina da Moderna contra a covid-19 recebeu ‘luz verde’ da Agência Europeia do Medicamento (EMA) para inocular crianças a partir dos 12 anos.

Com base num estudo no qual estiveram envolvidas “3.732 crianças, com idades entre 12 e 17 anos", o regulador europeu concluiu que a vacina produz uma camada de anticorpos coincidente à que é criada em jovens entre os 18 e os 25, sendo assim igualmente “eficaz” contra a covid-19.

A EMA também encontrou as mesmas reações adversas que foram detetadas em adultos nos jovens analisados, entre as quais os sintomas mais comuns como dor no local da injeção, cansaço, dor de cabeça, dores musculares e articulares, calafrios, náuseas, vómitos e febre.

"A segurança e eficácia desta vacina tanto em crianças como em adultos vai continuar a ser monitorizada de perto à medida que os planos de vacinação nos Estados-membros vão avançando, através do sistema da farmacologia da União Europeia e estudos adicionais realizados pela empresa e pelas autoridades europeias", sublinha o regulador europeu em comunicado, divulgado esta sexta-feira.

Assim, a vacina da Moderna torna-se a segunda a receber a aprovação da EMA para administração a menores de 18 anos. A farmacêutica Pfizer foi a primeira obter a autorização em maio deste ano.

Portugal ainda está a avaliar a possível vacinação nesta faixa etária. A comissão técnica da vacinação contra a covid-19 dará o seu parecer à Direção-Geral da Saúde brevemente.

Entretanto, António Costa já anunciou que o país está preparado para vacinar os jovens entre os 12 e os 17 anos, precisamente 570 mil crianças antes do início do próximo ano letivo.