Vida

Balotelli diz que lei devia proibir mulheres apenas "interessadas em dinheiro" a ter filhos

O jogador italiano disse que este ato é “malvado, triste e imoral”. A resposta da ex-mulher não tardou a aparecer. 


Mario Balotelli captou mais uma vez a atenção da comunicação social italiana com uma nova polémica.

O futebolista, que foi transferido a custo zero para o clube turco Adana Demirspor, publicou uma história na rede social Instagram, na qual afirmou que “a lei devia impedir que mulheres que só estejam interessadas em dinheiro tenham filhos contra a vontade dos homens, só para obterem o benefício fiscal”, ao considerar este ato “malvado, triste e imoral”.

“A família nasce por amor e não por conveniência. Se és solteiro, te estás a divertir, e não podes suportar-te, não uses terceiros como se fossem uma caixa registadora, arranja um trabalho antes de teres filhos. Se a lei não é correta, Deus é e o castigo será eterno", apontou o jogador sem identificar o alvo da sua crítica.

Porém, a acusação de Balotelli não tardou por uma resposta da ex-mulher Clelia Carleenn, com quem o jogador tem um filho de três anos.

A modelo suíça, ao partilhar a história do jogador, disse que é vítima de maus-tratos físicos e psicológicos de Balotelli, e que o mesmo “não respeita as mães”.

“Tudo o que faz é mentir”, assinalou Carleenn no Instagram, que acabou por publicar uma fotografia com o filho Lion, na qual adicionou a seguinte descrição: “Lion, farei tudo por ti. Amo-te”.

Este é mais um escândalo no qual Balotelli é protagonista. O jogador é pai de mais uma criança, Pia, de oito anos, tendo demorado mais de um ano a admitir que era o seu progenitor após um teste de ADN.