Cultura

Liverpool "humilhada"

Unesco diz que os anos de desenvolvimento na área das docas vitorianas, causaram uma ‘perda irreversível’ do valor histórico da cidade inglesa.


Liverpool perdeu o seu lugar na lista de patrimónios mundiais, depois da Unesco o ter «culpado» do «excessivo desenvolvimento» que levou a uma «perda irreversível» do valor histórico das suas docas vitorianas. A decisão foi anunciada por Tian Xuejun, presidente do Comité de Património Mundial da Unesco, numa conferência virtual realizada na China na passada quarta-feira, dia 24 de julho, onde se concluiu que o «valor universal excecional» da orla de Liverpool foi destruído por novos edifícios, incluindo o novo estádio do clube de futebol Everton. 

Já em 2012, a cidade inglesa tinha sido alertada pela Unesco, para o desenvolvimento que mudou «significativamente» o horizonte da cidade e que este estava a destruir o seu «valor patrimonial».

Liverpool é considerada património mundial desde 2004, ao lado do Taj Mahal e da Grande Muralha da China, como reconhecimento pelo seu papel de «grande potência comercial durante o império britânico e pela beleza arquitetónica de sua orla». Essa ‘etiqueta’ oferece aos lugares históricos o acesso a fundos de conservação da ONU e proteção sob as convenções de Genebra em caso de guerra.

A decisão é «um golpe humilhante» para a cidade e coloca Liverpool como terceira cidade a perder o status em quase 50 anos – os outros locais excluídos foram o Santuário de Oryx Árabe de Omã,em 2007, e o vale do Elba em Dresden, na Alemanha, em 2009.