Internacional

Dois dos quatro portugueses acusados de violação em Espanha ficam em prisão preventiva

Os outros dois suspeitos irão aguardar julgamento em liberdade, sem se poderem aproximar ou comunicar com as vítimas. Os mesmos poderão regressar a Portugal, desde que se mantenham à disposição da justiça espanhola.


Dois dos quatro portugueses, entre os 20 e os 30 anos, suspeitos de terem violado duas jovens espanholas ficaram em prisão preventiva, decretou, esta segunda-feira, o tribunal da cidade de Gijón, no norte de Espanha.

Os outros dois suspeitos irão aguardar julgamento em liberdade, sem se poderem aproximar ou comunicar com as vítimas, segundo avança o jornal local El Comercio. Os mesmos poderão regressar a Portugal, desde que se mantenham à disposição da justiça espanhola.

As medidas de coação decretadas vão de encontro com o que o Ministério Público pediu esta tarde.

A decisão do pedido de prisão preventiva surge após as alegadas vítimas – duas jovens espanholas de 22 e 23 anos – terem identificado os dois portugueses como “os principais autores dos atos violentos”, escreve a mesma publicação.

No primeiro interrogatório, os jovens portugueses alegaram estar inocentes e afirmaram que não usaram da força ou violência e que o encontro sexual foi consentido. 

O advogado de defesa admite que existiram relações sexuais, mas garante que há provas de que foram consentidas. Segundo o mesmo, a juíza do tribunal de Gijón tem na sua posse um vídeo que prova o consentimento dos atos sexuais. O advogado referiu ainda que o relatório médico revela que as mulheres tiverem “lesões muito ligeiras”.

O alegado crime ocorreu durante a madrugada de sábado. Segundo a denúncia das jovens, a que a imprensa espanhola teve acesso, as mesmas combinaram um encontro com um homem nas redes sociais, depois encontraram-se num bar e seguiram com ele para a pensão onde estava hospedado para um encontro sexual.

Pelo caminho, ter-se-á juntado outro homem e, ao chegarem à pensão, encontraram outros dois, que as terão obrigado a ter relações sexuais em grupo.

Após a denúncia pelas 6h30, as jovens foram transferidas para o hospital de Gijón para serem submetidas a exames médicos. Cerca de uma hora depois, os quatro portugueses foram detidos.

Notícia atualizada às 19h05 com a decisão do tribunal de Gijón.