Politica

Marcelo Rebelo de Sousa fala em desgaste

O Presidente da República abriu a porta à remodelação.


Marcelo Rebelo de Sousa passou a noite de quarta-feira a reforçar o desgaste e o cansaço que os atores políticos sofreram como fruto da pandemia da covid-19, sem, no entanto, falar diretamente de uma possível renovação no Governo de António Costa.

No programa Circulatura do Quadrado, da TVI24, o Presidente da República referiu que o país só resolverá a crise social se “crescer muito”, para conseguir “capacidade competitiva em termos de recursos humanos com outras economias e sociedades”, o que implica “no sistema político, de facto, uma capacidade de renovação dos atores políticos e dos parceiros económicos e sociais para desafios mais fortes”, relembrando que “os parceiros e os protagonistas também foram desgastados pela pandemia”.

Quando questionado sobre se sentia que o Governo está cansado, Marcelo preferiu defender que não lhe cabe “fazer essa análise política”, reforçando, no entanto, poder fazê-la para si mesmo, e “utilizá-la e pensar nela quando ouve os partidos políticos”.

“É bom ter uma área de poder forte”, reforçou o Presidente da República, ao mesmo tempo que, defende, “é importante ter uma área de oposição que se afirme como alternativa e que vá também permanentemente ganhando força e capacidade de entrada no espírito dos portugueses”. A covid-19, afirma, deixou muitas pessoas “exaustas” levando ao “reformular dos projetos pessoais, mas também dos projetos institucionais”.

“Aí está uma coisa que o Presidente nunca deve assumir com clareza, nem com clareza nem sem clareza. Pode assumi-lo, se for caso disso, na conversa com o primeiro-ministro. Não deve em público”, respondeu Marcelo quando confrontado com uma possível remodelação do Governo de António Costa.