Sociedade

Polícias que usaram uniforme na manifestação do Movimento Zero vão ser alvo de processos disciplinares

O uso de polos, algemas e boinas que pertencem à farda da PSP é proibido fora dos atos de serviços dos polícias – uma infração que pode resultar em penas de suspensão ou multa.


A Polícia de Segurança Pública (PSP) vai punir os agentes que utilizaram polos de serviço durante a manifestação do Movimento Zero, no passado mês de junho, avançou, esta sexta-feira, a revista Visão. Segundo a publicação, os polícias “já começaram a ser notificados com as respetivas notas de culpa”.

À Visão a PSP confirmou “que se encontram em instrução processos disciplinares na sequência do uso de peças de uniforme policial por parte de polícias numa manifestação, contrariando o regulamento de uniformes da Polícia de Segurança Pública (PSP)”.

O uso de polos, algemas e boinas que pertencem à farda da PSP é proibido fora dos atos de serviços dos polícias – uma infração que pode resultar em penas de suspensão ou multa.

De recordar que centenas de elementos da PSP e da GNR (Guarda Nacional Republicana) protestaram, em junho, durante cerca de 11 horas, numa manifestação que começou junto à Assembleia da República e se alastrou para as principais vias de Lisboa. Um desfile da manifestação, num percurso não autorizado, chegou a interromper o trânsito no centro da cidade.

Após o desfile, os manifestantes – que exigiam a atribuição do subsídio de risco e a atualização salarial – voltaram para a Assembleia da República, onde vários utilizaram peças do fardamento das forças de seguranças. Ouviram-se ainda algumas frases de incentivo à violência e à demissão do ministro da Administração Interna, que foi também vítima de vários insultos.