Politica

Chega condena encontro de Marcelo com Lula da Silva. "Prestou um mau serviço aos valores de integridade e transparência"

O Chega sublinha que “a inauguração do Museu da Língua Portuguesa deveria ser um momento de celebração e de assunção dos valores da democracia, da transparência e da força da civilização lusófona”, mas o encontro de Marcelo Rebelo de Sousa “com um bandido político apenas vem desvalorizar aquele facto e menorizar a promoção da língua portuguesa”.


O partido Chega condenou, esta segunda-feira, o encontro entre o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o ex-chefe de Estado brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, na residência do Cônsul-Geral de Portugal em São Paulo, na passada sexta-feira.

Em comunicado, o Chega considera que a “integridade dos poderes públicos e a sua natureza democrática” foram “gravemente comprometidos pela conduta criminosa do antigo Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, condenado em várias instâncias por corrupção no exercício das mais atas funções públicas”.

“Desde um triplex em São Paulo até uma quinta em Atibaia, há inúmeras contrapartidas registadas e reconhecidas pelos tribunais como tendo sido atribuídas ao ex-Presidente como forma de corromper e comprometer a sua ação governativa. Num destes casos, especificamente, Lula da Silva foi inclusivamente condenado a mais de 17 anos de prisão por corrupção e branqueamento de capitais. São múltiplos, variados e em várias instâncias judiciais as condenações de Lula por crimes graves contra a integridade dos poderes públicos”, lê-se.

Assim, o partido de André Ventura questiona como pode Marcelo Rebelo de Sousa “promover ou aceitar um acordo com tal personalidade”. “Que mensagem transmite aos cidadãos e aos poderes públicos em Portugal, num momento em que a luta contra a corrupção se assume como um grande desígnio nacional?”, acrescenta.

No documento, o Chega sublinha que “a inauguração do Museu da Língua Portuguesa deveria ser um momento de celebração e de assunção dos valores da democracia, da transparência e da força da civilização lusófona”, mas o encontro de Marcelo Rebelo de Sousa “com um bandido político apenas vem desvalorizar aquele facto e menorizar a promoção da língua portuguesa”.

“Com o encontro que teve em São Paulo com o antigo Presidente brasileiro, Marcelo Rebelo de Sousa prestou um mau serviço à democracia brasileira, à democracia portuguesa e aos valores de integridade e transparência que devem nortear os países lusófonos”, frisa.

O partido afirma ainda que a “Assembleia da República , reunida em plenário, condena o encontro mantido entre o Presidente da República Portuguesa e o ex-Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por vários crimes contra o Estado e contra a integridade dos poderes públicos em múltiplas instâncias judiciais”.