Economia

Cinco maiores bancos lucram quase quatro milhões por dia

Redução continua. Primeiro semestre do ano conta com menos 240 agências e 1474 trabalhadores.


Os cinco maiores bancos a operar em Portugal perderam 240 agências e 1474 trabalhadores entre o primeiro semestre de 2020 e o mesmo período deste ano, segundo os dados divulgados pelas instituições. Em termos de balcões, nos primeiros seis meses do ano, a Caixa Geral de Depósitos (CGD), BCP, BPI, Santander Totta e Novo Banco perderam 240 agências em Portugal face ao mesmo período de 2020.

No final de junho do ano passado, os bancos contavam em conjunto com 2343 agências, vendo esse número reduzido num ano para 2103. A meio deste ano, o BPI contava com 386 agências, a CGD com 543, o Santander Totta com 368, o Novo Banco com 348 e o BCP com 458. Já em relação ao número de trabalhadores, a redução foi de 1474 pessoas nos cinco maiores bancos a operar em Portugal.

Mas vamos a números. No final do semestre, em Portugal, a CGD contava com 6515 trabalhadores, o Santander Totta com 5765, o BCP com 6937, o BPI com 4562 e o Novo Banco com 4448.

Já em relação a resultados, os cinco principais bancos sediados em Portugal registaram, no primeiro semestre do ano, um lucro agregado de 708,4 milhões de euros. A Caixa Geral de Depósitos (CGD) lidera o ranking depois de ter apresentado lucros de 294 milhões de euros no primeiro semestre. O segundo maior contributo veio do BPI, com 183 milhões de euros de lucro, que comparam com os 43 obtidos nos primeiros seis meses de 2020. 

No terceiro lugar da tabela surge o Novo Banco com lucros de 137,7 milhões de euros, seguido do Santander Totta com um lucro de 81,8 milhões de euros no primeiro semestre e o BCP com 12,3 milhões de euros. Feitas as contas, os cinco maiores bancos lucraram cerca de quatro milhões por dia.