Sociedade

Caso da morte de cidadão ucraniano sob custódia do SEF tem mais cinco arguidos

Informação foi confirmada pela PGR, mas ainda “não foi proferido despacho de acusação”.


Foram constituídos mais cinco arguidos no caso da morte de Ihor Homenyuk, o cidadão ucraniano que estava à guarda do SEF, no Aeroporto de Lisboa, confirmou a Procuradoria-Geral da República.

A informação, avançada pelo Público, surge depois de três inspetores do SEF terem sido condenados, a 10 de maio, pela morte de Ihor Homenyuk. No entanto, "ainda não foi proferido despacho de acusação”, adiantou a PGR.

Segundo aquele jornal, os cinco arguidos serão seguranças da empresa Prestibel e "são suspeitos numa investigação que está em segredo de justiça e que decorre do despacho de acusação feito a 30 de setembro do ano passado contra os três inspetores do SEF".

"Na altura, o Ministério Público optou por levar a julgamento apenas os três inspetores, mas logo no despacho de acusação pediu a extração de certidão para averiguar a prática de outros crimes, nomeadamente falsificação de documento, e a responsabilidade de mais intervenientes", escreve o mesmo diário.