Economia

Fundo de garantia de depósitos consegue proteger 1,04% das poupanças

No final de 2020, a cobertura do fundo era mais reduzida que em 2019, mas alcançou as metas legais.


No final de 2020, o Fundo de Garantia de Depósitos tinha recursos suficientes para cobrir 1,04% das poupanças dos bancos portugueses, uma ligeira redução face aos 1,13% no final de 2019, divulgou esta quarta-feira o Banco de Portugal (BdP).

“A relação entre os recursos próprios do FGD e os depósitos efetivamente cobertos pela garantia reduziu-se ligeiramente em 2020, para 1,04% (em 31 de dezembro de 2019 era de 1,13%)”, lê-se no Relatório e Contas do Fundo de Garantia de Depósitos de 2020.

Apesar disso, o valor registado no final do ano passado está “claramente acima do nível de 0,8% que a legislação europeia estabelece como objetivo de capitalização dos sistemas de garantia de depósitos a atingir até julho de 2024”, salvaguarda o documento.

No final de 2020, os recursos próprios do FGD atingiram cerca de 1674 milhões de euros, o valor “mais alto de sempre, em resultado, essencialmente, conforme previsto na lei, da transferência de recursos do FGCAM, que se situaram nos 133 milhões de euros, por contrapartida das novas responsabilidades assumidas pelo FGD na garantia dos depósitos constituídos nas instituições que anteriormente participavam naquele Fundo de Garantia”, continua o relatório.

Na prática isto significa que o FGD tinha mais 132,3 milhões de euros (+8,6%) face aos 1.541 milhões de euros registados no final de 2019, para “proteger” as poupanças dos portugueses.

Porém, o resultado negativo do exercício do fundo, em 1,09 milhões de euros, contribuiu para diminuir os seus recursos próprios. Ainda assim, este resultado negativo foi “melhor do que os resultados verificados em 2019, 2018 e 2017 [-1,56, -3,43 e -2,97 milhões de euros, respetivamente]”. “É importante referi-lo porque, conforme se detalha no Relatório, designadamente pelo reforço do caráter acomodatício da política monetária na área do euro, em 2020 reduziram-se ainda mais as possibilidades de investimento com remuneração esperada positiva”, ressalva a mensagem do presidente da Comissão Diretiva da entidade e vice-governador do BdP, Luís Máximo dos Santos.