Internacional

Alívio em Macau. Testagem massiva não encontra casos positivos

Quatro casos positivos foram o suficiente para Macau entrar em alerta. E, apesar de não ter sido encontrado nenhum caso positivo nos mais de 700 mil testados, autoridades não deixam de parte segunda ronda de testagem massiva.


Quatro novos casos da variante Delta do novo coronavírus detetados numa família residente em Macau não deixaram outra alternativa ao Governo local: estado de emergência decretado e a realização de uma testagem massiva durante três dias a toda a população. Finda essa testagem, o resultado não podia ser mais positivo: das 716.251 pessoas testadas, todos os resultados foram negativos. 

“O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus informa que foram testadas no âmbito do plano massivo 614.465 pessoas e que desde o dia 03 de agosto, 101.786 pessoas deslocaram-se, por sua iniciativa, aos postos de testes de ácido nucleico para realizar o teste”, informou o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

A iniciativa era boa e os resultados foram os esperados mas nem tudo correu da melhor maneira. Na quarta-feira, quando arrancaram os testes, foram registadas filas gigantes nos postos de testagem que decorreram em 42 locais. Juntaram-se ainda problemas informáticos que criaram problemas na marcação dos testes e na criação do código QR de saúde que vigora no território, o que levou as autoridades a pedirem desculpa à população.

Recorde-se que, no que diz respeito às medidas restritivas no âmbito da pandemia de covid-19, Macau não brinca em serviço. Não é por acaso que neste quase ano e meio Macau detetou apenas 63 casos de covid-19. E mais: não houve qualquer morte, nenhum surto e não houve profissionais de saúde infetados. No entanto, a taxa de vacinação é muito baixa: pouco mais de um terço da população e apenas 2% de vacinados entre os idosos com mais de 80 anos.

Ainda assim é um caso de claro sucesso e que explica as medidas agora tomadas na sequência do surgimento destes quatro novos casos: o Governo decretou logo o encerramento de espaços culturais, desportivos e de diversão, bem como a suspensão ou cancelamento de atividades que se podiam traduzir na aglomeração de pessoas.

Mas o facto de todos os testes terem resultados negativos, não significa que Macau entre já em descanso. Os responsáveis de saúde não deixam de parte a hipótese de uma segunda ronda de testagem em massa. O objetivo é “poder garantir a segurança a 100%” da população, uma vez que “a variante Delta tem uma forte transmissão e um período de incubação muito prolongado”.

Vacinação Apesar dos números positivos, a percentagem de vacinação é baixa em Macau, o que levou os deputados a pedirem ao Governo para “acelerar” a vacinação no território. . “Espera-se que o Governo e os diversos setores promovam, em conjunto, a divulgação científica das vacinas, elevando a consciência de prevenção da epidemia e incentivando os cidadãos a vacinar-se, consoante as suas próprias condições”, disse o deputado Zheng Anting. “A epidemia está a propagar-se em todo o mundo e acredita-se que, a longo prazo, este vírus vai continuar a acompanhar o ser humano e não poderá ser erradicado num curto prazo. Por isso, os cidadãos devem preparar-se para a luta contra a epidemia a longo prazo, e a vacinação universal é́ uma das medidas preventivas mais eficazes”, defendeu ainda, citado pelo Tribuna de Macau.

Os comentários estão desactivados.