Internacional

Dono de escola de surf assassinou os dois filhos porque acreditava que se iam "transformar em monstros"

Caso está a chocar os Estados Unidos.


O proprietário de uma escola de surf no sul da Califórnia, nos Estados Unidos, confessou às autoridades que levou os dois filhos para o México e os matou.

Segundo a imprensa norte-americana, o suspeito, Matthew Taylor Coleman, de 40 anos, foi detido na segunda-feira, na fronteira entre o México e os EUA, pouco depois de os corpos dos filhos, Kaleo, de três anos, e Roxy, de 10 meses, serem encontrados por um trabalhador rural numa quinta entre Tijuana e Ensenada.

A mulher de Coleman e mãe das crianças, Abby Coleman, tinha alertado para o desaparecimento da família no domingo.

A polícia acabou por entrar em contacto com o FBI, depois de suspeitar que o homem e as crianças estariam no México.

De acordo com documentos judiciais, citados pelo site Crime Online, Coleman alegou que tinha sido influenciado pelas “teorias da conspiração de QAnon e Illuminati” e que tinha recebido “visões e sinais” que a esposa “tinha ADN de serpente e o havia transmitido para os filhos”.

Questionado sobre se entendia que o que tinha feito era errado, o homem disse que sim, mas que era a única forma de “salvar o mundo”. Coleman afirmou ainda que matou as crianças com uma arma de pesca submarina.

“Ele acreditava que os filhos se transformariam em monstros, então teve que matá-los”, dizia um dos documentos.

O procurador do estado mexicano de Baixa California disse que a criança mais velha foi esfaqueada pelo menos 12 vezes entre o pescoço e o abdómen e a outra 17 vezes na mesma área.

Autoridades mexicanas e norte-americanas estão a cooperar para transladar os corpos das crianças para a Califórnia. 

Coleman será presente a tribunal e deverá ser acusado do homicídio de dois cidadãos norte-americanos no estrangeiro.