Sociedade

Todas as regiões de Portugal continental registaram óbitos por covid-19

O número de internados sobe pelo segundo dia consecutivo. Rácio de transmissibilidade (RT) também aumenta, mas incidência de novos casos desce.


Portugal registou, nas últimas 24 horas, 1.135 casos do novo coronavírus e onze vítimas mortais, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta segunda-feira. O número de internados sobe pelo segundo dia consecutivo. Rácio de transmissibilidade (RT) também aumenta, mas incidência de novos casos desce. Todas as regiões de Portugal continental registaram vítimas mortais.

Lisboa e Vale do Tejo registou 411 novos casos. Segue-se o Norte com 376 contágios, o Algarve com 151, o Centro com 93 e o Alentejo com 29. O arquipélago dos Açores registou 45 novas infeções e o da Madeira 30.

O RT e a taxa de incidência foram atualizados esta segunda-feira. A incidência de novos casos desceu, mas o RT aumentou. Segundo o boletim, Portugal tem uma incidência de 314,5 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, uma descida face aos 319,9 registados na última atualização, e Portugal continental de 318,8, uma descida de 5,8 valores. O RT situa-se nos 0,96 em todo o país. Na última análise da DGS, partilhada na sexta-feira, este valor era de 0,95.

Todas as regiões de Portugal continental registaram vítimas mortais: quatro em Lisboa, duas no Centro, duas no Algarve, duas no Alentejo e uma no Norte.

O número de internamentos voltou a subir, mas os doentes graves em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) diminuíram. Há agora 768 pessoas com sintomas da covid-19 internadas nos hospitais portugueses, mais 24 do que ontem. Em UCI há 154 doentes, menos três do que na véspera.

Portugal registou, desde o início da pandemia, 100.004.470 casos de SARS-CoV-2, 45.304 dos quais permanecem ativos – menos 63 do que ontem –, e 17.573 não resistiram. Nas últimas 24 horas, 1.187 pessoas recuperaram da doença, elevando o total para 951.593. Atualmente, as autoridades de saúde têm 53.438 contactos em vigilância, menos 1.413.

Veja aqui o boletim da íntegra.