Politica

Bolsonaro assume "Tiozão do Churrasco" e choca Marcelo

Bolsonaro terá feito “piadas sexuais” que constrangeram Marcelo aquando da sua visita ao Brasil.


Nem tudo na mais recente visita de Marcelo Rebelo de Sousa ao Brasil correu às mil maravilhas. Afinal, parece que o chefe de Estado saiu constrangido com o “tiozão do churrasco” e as suas piadas inconvenientes. Quem o avança é o jornal brasileiro O Globo.

E a Associação pela Fraternidade Portugal-Brasil emitiu ontem um nota em que vem manifestar o seu “inteiro repúdio ao episódio ocorrido no último dia 02 de agosto, em Brasília, durante uma receção e almoço” entre Bolsonaro e Marcelo Rebelo de Sousa.

Segundo a nota – a que o i teve acesso –, Bolsonaro, “com piadas de cunho sexual à mesa, referências jocosas ao povo português e comentários muito distantes do que se espera de um estadista”, destilou “com desenvoltura um reportório de asneiras e grosserias que constrangeu o seleto grupo de autoridades internacionais”. Nesse sentido, e considerando o tempo a que o Brasil “segue em crise sanitária” e está “cada vez mais isolado económica e diplomaticamente”, a Associação afirma que “um pedido público de desculpas” é o mínimo que pode aguardar.

Note-se que após o encontro no Palácio do Planalto, o Presidente da República referiu somente não ter havido tempo para debater eventuais divergências com Bolsonaro, optando por sublinhar os “pontos em comum”: “O encontro–almoço com o Presidente da República Federativa do Brasil enquadrou-se no espírito de haver, como sempre, imensos pontos em comum entre portugueses e brasileiros, entre Portugal e o Brasil”. Na altura, Marcelo notou ainda a existência de uma “preocupação muito clara de explorar todos os caminhos, posições comuns e passos a dar em conjunto”. Não obstante ter fico constrangido com Jair Bolsonaro, Marcelo preferiu agir diplomaticamente, falando dos temas positivos retirados da reunião.

Marcelo Rebelo de Sousa esteve quatro dias no Brasil, acompanhado por Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, e Luís Faro Ramos, embaixador de Portugal no Brasil. Além do encontro com o atual chefe de Estado brasileiro, Marcelo reuniu-se também com quatro antigos Presidentes do Brasil: Lula da Silva, Michel Temer, Fernando Henrique Cardoso e José Sarney.

Marcelo deslocou-se ao Brasil para reinaugurar o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, que havia sido destruído num incêndio em 2015, tendo a sua reconstrução beneficiado do apoio do Estado português.

Tratou-se da quinta viagem de Marcelo ao Brasil desde que é Presidente da República e do segundo encontro com Jair Bolsonaro.