Economia

Aviação. Número de passageiros caiu 44,6% no 1.º semestre

Em junho já se verificou um aumento com cerca de dois milhões de passageiros, mas apresentou um  decréscimo face a igual período de 2019. 


O setor da aviação continua em queda livre, no entanto, o mês de junho parece querer dar alguns sinais de alívio. Nos primeiros seis meses do ano registou-se uma diminuição de 44,6% do número de passageiros movimentados nos aeroportos nacionais. Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e revelam que, comparando com o primeiro semestre de 2019, a redução foi de 80,4%. No entanto, só em junho, nos aeroportos nacionais assistiu-se a um movimento na ordem dos dois milhões de passageiros, já o movimento de carga e correio totalizou 15,6 mil toneladas. 

Ainda assim, o INE recorda “no mês homólogo, devido à crise pandémica registou-se um tráfego muito reduzido nos aeroportos”. Mas comparando com junho de 2019, o movimento de passageiros diminuiu 66,0% e o movimento de carga e correio decresceu 4,7%.

“Considerando o período de abertura do corredor aéreo entre Portugal e o Reino Unido, entre os dias 17 de maio e 7 de junho de 2021, desembarcaram 38,1% do total de passageiros desembarcados nos aeroportos nacionais no conjunto dos dois meses (maio e junho), dos quais 22,9% em voos provenientes do Reino Unido”, referem os mesmos dados. 
Considerando os passageiros desembarcados nos aeroportos nacionais em junho de 2021, 70,9% corresponderam a tráfego internacional (80,6% no período homólogo), na maioria provenientes de aeroportos localizados no continente europeu (63,2%). 

Quanto aos passageiros embarcados, 70,4% corresponderam a tráfego internacional (75,1% no período homólogo), tendo como principal destino aeroportos localizados no continente europeu (64,5%). 
O aeroporto de Faro concentrou 57% dos passageiros provenientes de voos do Reino Unido entre 17 de maio e 7 de junho.

Peso dos aeroportos

Nos primeiros seis meses, o aeroporto de Lisboa movimentou 46% do total de passageiros (2,5 milhões) e registou um decréscimo de 55,4%, o mais acentuado dos três aeroportos com maior tráfego anual de passageiros. 

Por seu lado, durante este período, o aeroporto de Faro voltou a ocupar a 3.ª posição entre os aeroportos com maior movimento de passageiros: 575 mil, o que representa um decréscimo de 28,1%. 

Mas considerando o volume de passageiros desembarcados e embarcados em voos internacionais no primeiro semestre de 2021, França foi o principal país de origem e de destino dos voos. O Reino Unido surgiu como segundo principal país de origem e de destino dos voos, apesar de registar os maiores decréscimos homólogos de passageiros desembarcados e embarcados (-62,4% e -65,6%, respetivamente). Já a Alemanha ocupou a terceira posição.

No primeiro semestre de 2021, registou-se um aumento de 18,4% de carga e correio movimentados nos aeroportos nacionais (-28,0% em 2020). O movimento de mercadorias no aeroporto de Lisboa representou 67,6% do total, atingindo 56,9 mil toneladas (+20,1% face ao período homólogo). O conjunto dos restantes aeroportos aumentou 15,2%.