Vida

Vacinação? Sim, mas não

Apesar de muitas celebridades se posicionarem a favor da vacinação contra o novo coronavírus, outras continuam a rejeitar a inoculação.


Eric Clapton: Acusado de ser ‘chalupa’

O lendário guitarrista britânico disse que não tocará em locais que exijam a vacina covid-19 depois de países como o Reino Unido terem passado a exigir o comprovativo da inoculação em eventos com público. O artista de 76 anos, conhecido por êxitos como Tears In Heaven, tem o próximo concerto no Reino Unido agendado para maio de 2022 no Royal Albert Hall de Londres e também oito espectáculos nos EUA - país onde comprovar a vacinação não é um ato exigido na maioria das salas de concertos - marcados para setembro do ano corrente.

A seu lado, Brian May esteve à conversa com o jornal Independent e aproveitou para enviar um recado a Clapton. «Eu adoro-o, ele é o meu ídolo, mas pensamos de forma diferente em muitas coisas», afirmou o guitarrista dos Queen. «Lamento dizer, mas as pessoas antivacinas são chalupas. Há várias provas que demonstram que a vacinação ajuda. No geral, as vacinas têm-se mostrado seguras».

Jim Carrey: Posições contraditórias

Há seis anos, Jim Carrey chamou «fascista» ao ex-governador da Califórnia Jerry Brown por assinar uma lei que obrigava as crianças em idade escolar a serem vacinadas, independentemente da vontade dos pais. «Dizem que o mercúrio nos peixes é perigoso, mas não há risco de forçar todos os nossos filhos a serem injetados com tiomersal. Faz sentido?», questionou, à época, na rede social Twitter. 

«Eu não sou anti-vacina. Eu sou anti-tiomersal, anti-mercúrio», escreveu. «O governo da Califórnia diz sim ao envenenamento de mais crianças com mercúrio e alumínio nas vacinas obrigatórias. Esse fascista corporativo deve ser detido», publicou Carrey, condenando o fim das isenções anteriores, do estado, de vacinação para crenças pessoais ou religiosas. Curiosamente, em relação à vacina covid-19, Carrey disse «Trump e o Partido Republicano decidiram não dar atenção à ciência, deixando-nos indefesos durante uma pandemia».

Fernanda Venturini: Vacinar rima com... Viajar?

A  antiga jogadora de voleibol da Seleção do Brasil, de 50 anos, foi vacinada contra a covid-19, no dia 26 de junho, e partilhou um vídeo no dia seguinte tentando retratar-se das palavras ditas num outro vídeo enquanto estava num posto de saúde na Vila Edith, na Zona Sul de São Paulo. Nas imagens, vê-se que aguardava para ser imunizada. «Eu sou contra a vacina, mas como eu quero viajar o mundo eu vou tomar, vou tomar a Pfizer que eu acho a menos pior», admitiu.

O vídeo foi apagado pela ex-atleta, bem como a publicação em que celebrava a vacinação e agradecia ao profissional de saúde que a vacinou. «Fernanda Venturini, que desserviço! Inacreditável!», disse um utilizador do Twitter. «Deus não dá asa a cobra. Por isso ela não tem ouro olímpico», redigiu outro, referindo-se ao facto de Fernanda ter sido meda de bronze nos Jogos de Barcelona, em 1992. «Foi uma grande jogadora no passado e agora virou sommelier de vacina», publicou um seguidor.

Sir Ian McKellen: “Um dia muito especial”

Em dezembro do ano passado, Sir Ian McKellen foi uma das primeiras celebridades a serem fotografadas enquanto recebiam a vacina contra a covid-19. A estrela de 81 anos dos filmes X-Men e O Senhor dos Anéis disse que se sentiu «eufórico» ao ser vacinado no Queen Mary’s University Hospital, em Londres. «Qualquer pessoa que viveu tanto quanto eu está viva porque já recebeu vacinas anteriores», disse o ator veterano.

Sir Ian disse que foi «um dia muito especial» para receber a vacinação «indolor» e «conveniente» por parte do Dr. Phil Bennett-Richards. «Não hesitaria em recomendá-lo a ninguém», continuou McKellen, dizendo que se sentia «com muita sorte». «Da próxima vez vou dar um grande abraço a todos - isso é permitido? Não sei», disse. «Esse é o verdadeiro bónus de tudo isso, assistir e ver o que funciona e o que não funciona neste país - e parece-me que o Serviço Nacional de Saúde está no topo da lista de instituições que funcionam».

Martha Stewart: “Estou muito orgulhosa”

Depois de receber a primeira dose da vacina no início de janeiro, Martha Stewart recebeu a segunda no Mount Sinai Downtown, em Nova Iorque. «Como Martha se enquadra na faixa etária de indivíduos com 65 ou mais anos, ela era totalmente elegível para receber a primeira dose da sua vacina em 11 de janeiro. Agora, após a segunda inoculação, recebeu as duas doses completas da vacina Pfizer-BioNTech , que provou ser 95% eficaz na prevenção da doença covid-19 com base em evidências de ensaios clínicos», lê-se no site oficial da personalidade televisiva de 80 anos.

«Não tive efeitos nocivos, embora estivesse preparada para isso», disse num vídeo publicado na sua página oficial do Instagram, acrescentando que a vacina foi-lhe aplicada rapidamente e que não sentiu dor ao recebê-la. «Todos nós esperamos o fim desta pandemia», realçou. «Estou muito orgulhosa e grata aos médicos, enfermeiros e toda a equipa médica», escreveu.

Arnold Schwarzenegger: “Venha comigo se quiser viver!”

O ator e ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, de 73 anos, vacinou-se contra a covid-19 no dia 20 de janeiro. Recebeu a primeira dose no estádio Dodger Stadium, em Los Angeles, e fez brincadeiras com falas de personagens famosos que já interpretou. A estrela publicou nas redes sociais um vídeo em que se imuniza e incentivou os fãs a fazerem o mesmo. «Hoje foi um bom dia. Nunca fiquei tão feliz em esperar numa fila. Se for elegível, junte-se a mim e inscreva-se para receber a sua vacina. Venha comigo se quiser viver!», escreveu.

Schwarzenegger pediu para a enfermeira «baixar essa agulha!» enquanto ela o vacinava, fazendo um trocadilho com uma fala do filme de comédia Um Herói de Brinquedo (1996). Por esse motivo, nos comentários da publicação, o ator sueco Linus Wahlgren escreveu «Que tal ‘Eu voltarei’ para a segunda dose?», fazendo também um trocadilho mas, desta vez, relacionado com o filme O Exterminador do Futuro.