Politica

Governo "empenhado" na retirada de pessoas do Afeganistão. Primeiros refugiados deverão chegar a Portugal "ainda este mês"

Para já, o país irá receber 50 refugiados afegãos.


O ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, revelou, esta quinta-feira, que os primeiros refugiados afegãos que Portugal irá acolher deverão chegar ao país “ainda este mês”.

Sublinhe-se que o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, avançou ontem que Portugal irá acolher, por agora, pelo menos 50 refugiados afegãos: 30 colaboraram com a NATO e os restantes 20 com os serviços da União Europeia.

Ao falar sobre a situação vivida em território afegão, agora dominado pelos talibãs, Gomes Cravinho considerou que o mais importante é retirar do país todos aqueles que queiram sair.

“Temos de tratar do imediato e o imediato é retirar do Afeganistão todos os estrangeiros que lá estão e querem sair e todos os afegãos que também o queiram ou que trabalharam ao longo dos anos com as forças estrangeiras. Portanto, são bastantes milhares e o fundamental, nos próximos dias, é assegurar que possam sair juntamente com as suas famílias em segurança”, disse.

O governante adiantou depois que não há uma data exata para a chegada dos primeiros refugiados afegãos a Portugal, mas tal deverá acontecer “ainda este mês de agosto”.

Gomes Cravinho assegurou ainda que, neste momento, está a decorrer um “trabalho muito intenso” para receber estes cidadãos.

“O Governo está muito coordenado e empenhado nas suas diferentes áreas de atividade e intervenção para podermos receber aqueles que forem definidos [para Portugal] nos próximos dias”, acrescentou, explicando que há “vários planos” para a retirada de pessoas, sobretudo aquelas que nesta altura se sentem mais ameaçadas pelos talibãs.

“Estamos a trabalhar no âmbito da NATO, da UE e da ONU. [Portugal] Está a dar colaboração e receberá pessoas em cada um dos casos”, indicou.