Vinagrete

Jardim explícito

Alberto João Jardim foi demasiado explícito com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ao dizer-lhe publicamente não ter agenda para se encontrar com ele


Alberto João Jardim foi demasiado explícito com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ao dizer-lhe publicamente não ter agenda para se encontrar com ele, por estar de férias.

Jardim até poderia não ter conhecimentos de etiqueta e protocolo, para não saber que estar de férias, ainda por cima no mesmo arquipélago que o Presidente visitava, e queria vê-lo para lhe dar uma condecoração, não era razão suficiente para não fazer o esforço de se encontrar com ele. Mas na sua longa presidência do Governo autonómico, terá aprendido alguma coisa destes protocolos.

Marcelo, ao querer desvalorizar o assunto, garantindo ser muito seu amigo, só o tornou mais clamoroso. E não se acredita que Marcelo não soubesse disso, pelo que é possível imaginar que foi de propósito, para ser clamoroso numa questão em que quem ficava mal – e terei ouvido gente local, amiga de Jardim, a criticá-lo – era precisamente Jardim. E afinal porquê, estas guerras de Alecrim e Mangerona (com a devida vénia a António José da Silva)?