Internacional

Pelo menos 60 mortos e mais de 140 feridos em Cabul. Estado Islâmico reivindica ataques

Morreram 12 militares norte-americanos.


Pelo menos 60 civis morreram e 140 ficaram feridos na sequência das explosões registadas, esta quinta-feira, junto ao aeroporto de Cabul, no Afeganistão, segundo o Ministério da Saúde afegão. Este balanço é muito superior àquele que foi inicialmente avançado pelos talibãs. O movimento extremista tinha indicado que os ataques teriam provocado entre 13 a 20 mortos.

Já depois de Pentágono confirmar a morte de vários soldados norte-americanos, o comandante central das Forças Armadas dos Estados Unidos, Kenneth McKenzie, anunciou, em conferência de imprensa, que 12 militares morreram e outros 15 ficaram feridos.

Na mesma conferência de imprensa, McKenzie, admitiu que os ataques irão continuar. Segundo o responsável, o ataque foi realizado por dois bombistas suicidas membros do Estado Islâmico. O primeiro fez-se explodir junto a um portão do aeroporto e o outro perto de um hotel.

“Depois das explosões, vários homens ligados ao ISIS disparam sobre civis e militares”, disse.

Entretanto, o autoproclamado Estado Islâmico reivindicou os ataques. Segundo a Sky News, foi através de uma comunicação no Telegram que o ISIS disse ser responsável pelas explosões e pelos disparos registados em Cabul.