Sociedade

Risco de fogos mantém-se elevado

Apesar de o IPMA prever, para este fim de semana, a descida da temperatura, o risco de incêndio vai manter-se elevado em algumas regiões, pelo menos, até terça-feira. 


Depois de uma semana marcada por avisos amarelo e laranja devido às temperaturas elevadas que se fizeram sentir, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para este sábado uma ligeira descida de temperatura no interior norte e centro e céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se muito nublado no litoral oeste e na região sul até final da manhã. Os meteorologistas destacam também a possibilidade de ocorrência de chuva fraca ou chuvisco no litoral oeste durante o mesmo período. Assim, hoje, fazem-se sentir 27ºC em Lisboa e Faro e 21ºC no Porto, sendo que os termómetros chegam aos 32ºC de máxima em Bragança.

Para amanhã, prevê-se céu pouco nublado ou limpo, sendo muito nublado no litoral oeste até final da manhã e as temperaturas máximas vão variar entre os 30ºC em Bragança, os 29ºC em Faro, Castelo Branco, Beja, Évora e Santarém, os 28ºC em Lisboa, os 23ºC em Aveiro e os 21ºC no Porto. 

Apesar desta descida de temperaturas, mais de 30 concelhos dos distritos de Bragança, Guarda, Viseu, Coimbra, Castelo Branco e Portalegre apresentaram ontem um risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). É de realçar que o IPMA colocou também vários concelhos - Faro, Santarém, Leiria, Portalegre, Castelo Branco, Guarda, Coimbra, Viseu, Aveiro, Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real e Bragança - em risco muito elevado de incêndio.

Sabe-se que o risco de incêndio vai manter-se elevado em algumas regiões do continente, pelo menos, até terça-feira. Recorde-se que este risco, determinado pelo IPMA, tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo que os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Cocktail meteorológico 

Depois de a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) ter alertado, na segunda-feira, para um aumento muito significativo do risco de incêndio rural devido a um «cocktail meteorológico» - tempo quente, seco com vento e ocorrência de trovoada -, a meteorologista Cristina Simões, do IPMA, explicou que o panorama poderia modificar-se.

No seguimento destas previsões meteorológicas, o Governo declarou situação de alerta em dez distritos de Portugal Continental na terça-feira, das 00h às 23h59.

Apesar de a mesma já não estar em vigor, Cristina Simões adiantou que «o calor e a ausência de precipitação contribuem para que o risco de incêndio se mantenha elevado porque a humidade relativa é baixa».