Politica

Marta Temido não descarta a possibilidade de se candidatar a secretária-geral do PS

A recente militante socialista disse que "nunca se sabe" o que o futuro lhe poderá trazer. 


A ministra da Saúde e recém filiada no Partido Socialista, Marta Temido, não descarta a possibilidade de se candidatar à liderança do PS.

“O futuro é uma coisa que é sempre ampla e nunca se saber o que nos pode trazer", disse Marta Temido, este domingo, à chegada ao Portimão Arena no segundo dia do 23.º Congresso Nacional do PS.

Para a governante, a ideia de concorrer para secretária-geral socialista é uma opção que considera atualmente como um “plano daquilo que são as hipóteses que a vida não nos leva a descartar completamente”.

Porém, Marta Temido rejeitou tal cenário num espaço de dois anos, uma vez que é “uma militante recente” e, neste momento, está focada “em trabalhar”, argumentou.

Ainda assim, a ministra disse que o PS tem “um líder do partido”, com o qual os socialistas "tem um futuro cheio de possíveis soluções, com muitos jovens, com muitas ideias".

António Costa, que foi reeleito secretário-geral este sábado, olha para a candidatura de Marta Temido com bons olhos e já num futuro próximo. "Sim, pode ser sucessora, pode. Daqui a dois anos já tem tempo de militância suficiente para concorrer a líder do PS", disse Costa em entrevista ao Observador.