Economia

"Estamos numa fase de grande recuperação", diz João Leão

Crise pandémica pode atingir impacto 40 mil milhões de euros na dívida.

 


 Portugal está "numa fase de grande recuperação" económica. A garantia foi dada pelo ministro das Finanças em entrevista à RTP. 

"Depois de um primeiro trimestre muito difícil por causa da vaga da pandemia que levou a um confinamento, Portugal foi, no segundo trimestre, o país que mais cresceu em toda a Europa, os tais 15,5%", acrescentando que houve "um crescimento notável do PIB em termos homólogos", João Leão adiantou que essa recuperação é agora "confirmada para o terceiro trimestre" com indicadores económicos "muito positivos".

Quanto à hipótese de assistirmos a uma viragem económica pode recuar, o governante admitiu que "tudo depende da evolução da pandemia", mas insistiu que, neste momento, "os sinais que temos são positivos". E acredita que no início de 2022 economia esteja em "valores acima dos pré-pandemia"

"Estamos com uma recuperação muito robusta, vamos crescer em 2021 e 2022, no seu conjunto, mais 9% [4% este ano, 5% no ano que vem]. (...) São estimativas que temos e até estamos confiantes de que as vamos superar já em 2021", revelou. 

Crise pandémica pode atingir impacto 40 mil milhões de euros na dívida

A crise pandémica teve até agora um impacto de 30 mil milhões de euros na dívida pública portuguesa, disse o ministro das Finanças, acrescentado que poderá atingir os 40 mil milhões de euros até ao próximo ano.

De acordo com João Leão, o setor privado também a dívida aumentar em cerca de cinco mil milhões de euros, no último ano. "No setor privado também teve um legado [da dívida]. São cerca de cinco mil milhões [de euros], quatro mil milhões de euros para as famílias de dívida adicional e mil milhões de euros nas empresas, embora nas famílias seja assimétrico. Houve famílias que acumularam muitos depósitos e [...] outras tiveram de se endividar", vincou.