Vida

Joe Rogan testa positivo à covid-19 e diz que ficou "ótimo" com Ivermectina

O apresentador norte-americano tem sido alvo de críticas por espalhar informações falsas sobre a vacina contra a covid-19 no seu podcast “The Joe Rogan Experience”. Após ter testado ao vírus SARS-CoV-2, revelou que está a ser tratado com Ivermectina, um medicamento para tratar ou prevenir parasitas em animais.


O comediante e apresentador Joe Rogan revelou, através de um vídeo publicado nas redes sociais, que testou positivo à covid-19 e que está a ser tratado com Ivermectina. De realçar que a eficácia do medicamento contra a covid-19 ainda não está provada.

No vídeo, publicado na quarta-feira, o antigo lutador da Ultimate Fighting Championship (UFC) contou que se começou a sentir “muito estranho” após voltar de uma viagem na noite de sábado. “Estava em baixo e com dores de cabeça”, revela.

Decidiu isolar-se da família e “dormir num local diferente” da sua casa “por precaução”. Nessa noite teve “febre” e “transpirou muito” e decidiu fazer o teste ao vírus SARS-CoV-2 na manhã seguinte.

“Eu sabia o que estava a acontecer. Eu acordei de manhã, fiz o teste e descobriu que estou com covid-19.”, conta.

Ao saberem o resultado do teste, o apresentador e a família verificaram os medicamentos que tinham em casa e Rogan, de 54 anos, admite que tomou anticorpos monoclonais e Ivermectina – um medicamento para tratar ou prevenir parasitas em animais e que não é recomendado pelas autoridades de saúde – e se sentiu “melhor”.

Rogan afirma que teve “dias maus” mas que agora está “ótimo”, tudo graças à “medicina moderna”. “Na verdade, tive dias maus. O domingo foi horrível. Na segunda-feira, foi melhor. Terça-feira, ainda melhor. Hoje [quarta-feira], estou ótimo”, sublinha.

“Muito obrigada à medicina moderna por me ‘livrar’ disto tão rápido”, frisou.

O apresentador norte-americano tem sido alvo de críticas por espalhar informações falsas sobre a vacina contra a covid-19 no seu podcast “The Joe Rogan Experience”. Em abril, afirmou que as pessoas saudáveis e jovens não precisavam de ser vacinadas.

De sublinhar que a Food and Drug Administration (FDA), autoridade de saúde norte-americana, alertou os cidadãos norte-americanos para não tomarem Ivermectina e sublinhou que uma sobredosagem do medicamento pode resultar em náuseas, vómitos, diarreia, pressão arterial baixa, reações alérgicas, tonturas, problemas de equilíbrio, convulsões, coma e até morte.