Sociedade

Lacerda Sales afasta para já terceira dose da vacina

Secretário de Estado defende que são necessários dados mais "robustos" para haver uma decisão. Sobre a continuação do uso de máscaras, Lacerda Sales prevê que bom senso vai prevalecer e que equipamento de proteção vai continuar a ser utilizado, mesmo que a lei assim não o obrigue.


A administração universal da terceira dose da vacina contra a covid-19 continua a fazer parte do debate da opinião pública, ainda que as autoridades sanitárias portuguesas afastem para já a hipótese, remetendo uma decisão para mais tarde, quando houver mais dados.

Sobre o assunto, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde sublinhou, esta segunda-feira, que já na semana passada “foi emitido um comunicado conjunto da EMA e do ECDC no sentido de se dizer que são necessários dados mais robustos do ponto de vista científico para se poderem tomar decisões acertadas”. E acrescentou: “Neste momento aguardamos para tomarmos depois a decisão".

Questionado sobre o levantamento da obrigatoriedade do uso da máscara, Lacerda Sales fez questão de salientar que "além daquilo que é a lei, há sempre o bom senso".

O governante disse estar "convencido” que muitos vão continuar a recorrer àquele equipamento de proteção contra a covid-19.

"Estou convencido que muitos de nós, com esse bom senso, em determinadas situações, em aglomerados ou ambientes fechamos, vamos continuar a usar máscara durante o inverno", afirmou.

Por outro lado, também reconheceu que com a chegada à meta de vacinação, 85% com o esquema completo, prevista para o final de setembro, haverá uma "tendência para a flexibilização desta medida".