Sociedade

Quase 80% da população totalmente vacinada

Mandato da Task Force para a testagem renovado por seis meses, com efeitos desde 1 de setembro.


Mais de 7,9 milhões de portugueses já receberam as duas doses da vacina contra a covid-19, o correspondente a 78% da população portuguesa, de acordo com o relatório de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral de Saúde (DGS). Os dados revelam ainda que 81% dos jovens entre os 12 e os 17 anos já receberam pelo menos uma dose da vacina, sendo que 25% estão já completamente imunizados.

A região Norte lidera com 86% da população com pelo menos uma dose da vacina e 78% da população com a vacinação completa. Ao todo, desde a semana passada, foram administradas 156.051 vacinas.

A seguir surge o Centro, com praticamente a mesma percentagem. Já em Lisboa e Vale do Tejo, foram administradas 149.060 vacinas na última semana, o que fez com que se completasse 72% dos residentes com o esquema vacinal completo e 81% com pelo menos uma dose.

Por seu lado, o Alentejo administrou 20.496 doses desde a semana passada e tem agora 86% dos residentes com pelo menos uma dose e 77% com a vacinação completa.

O Algarve é a região do país com menos percentagem de população imunizada: 79% com pelo menos uma dose e 70% com as duas. Nas regiões autónomas, tanto Açores e Madeira já administraram pelo menos a primeira dose a 81% da população, mas é a Madeira quem tem mais residentes com o esquema vacinal completo – 77% – enquanto os Açores têm 75%.

Os números foram avançados no mesmo em dia em que foram revelado que Portugal registou mais seis mortes e 1231 novos casos. No total, desde o início da pandemia, o nosso país contabilizou 17 816 óbitos e 1 048 941 contágios. E que o mandato da Task Force para operacionalização da testagem foi renovado por mais seis meses para assegurar o aumento da capacidade no âmbito do processo de desconfinamento, segundo um despacho publicado ontem em Diário da República.

“No contexto da atual situação epidemiológica, provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, e no âmbito do processo de desconfinamento atualmente em curso, com redução de medidas de distanciamento social, considera-se crucial continuar a assegurar o aumento da capacidade de testagem e cobertura, juntamente com o reforço do rastreio dos contactos em todo o país”, refere o despacho, que produz efeitos desde 1 de setembro.

O avanço do plano de vacinação surge, numa altura, em que o uso de máscara deverá deixar de ser obrigatório na rua já no próximo domingo.

Ainda assim,  o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, voltou a apelar ao “bom senso” durante o próximo inverno, principalmente, em ambientes fechados ou com muita gente.