Politica

Boalhosa. A freguesia 'de viúvas' onde quase 90% votam CDS

Em 2013 o CDS-PP teve uns super 91,9% na Boalhosa. Em 2017 desceu para uns ainda-super 87,3%.


Com mais um residente do que as freguesias retratadas ontem e anteontem, hoje apresenta-se a Boalhosa, com 117 habitantes. Situada no concelho de Ponte de Lima, distrito de Viana do Castelo, a Boalhosa – agora ao leme de Daniel Pereira e Costa – há já largos anos é CDS-PP (como, aliás, historicamente, é Ponte de Lima).  Em 2017, nesta freguesia, o CDS-PP, através de apenas 90 votos, conseguiu um avultado resultado de 87,3%. Não obstante o super-número, este significou uma quebra de 4,6% face a 2013 (quando o CDS conquistou 91,96% dos votantes…). Em 2017, lutou contra o movimento independente Ponte de Lima Minha Terra (PLMT) – que, com sete votos, conseguiu 6,8% –, contra o PSD – que, com 4 votos, conseguiu 3,8% – e contra o PPM – que, com um voto solitário conquistou 0,97% dos votatnes. Particularmente interessante é o nível de abstenção da freguesia – um dos mais altos do país. Apesar dos censos de 2011 declararem a existência de 163 limianos na Boalhosa, as eleições autárquicas de 2017 notavam a existência de 250 inscritos para votar. Desse universo, terão votado apenas 103.

Este ano, à chapa eleitoral, irão apenas duas listas: a do CDS-PP, encabeçada por um Daniel Pereira e Costa que irá procurar renovar o seu mandato, e, novamente, a independente PLMT, encabeçada por Paulo Rosário.

 

Uma aldeia de viúvas

Nesta aldeia – que, contrariamente às anteriormente retratadas, não se situa no interior – o número de crianças pode ser contado pelos dedos das duas mãos (o que, comparando às freguesias anteriormente aqui retratadas, é quase um luxo, considerando que nestas viviam, em média, três ou quatro). É uma clássica vila de emigrantes, que conta com mais “casas do que habitantes” e que no mês de agosto vê a sua população “triplicar”, como notavam à RTP uns limianos naturais da freguesia. Recentemente, a Boalhosa terá batido o pé à agregação de freguesias que se fez transversalmente pelo país. A razão? Muitas viúvas: “Os maridos, que trabalharam em França toda a vida, faleceram. Portanto, as viúvas que cá ficaram [são] reformadas de França. As instituições francesas estão quase sempre a pedir as provas de vida, os certificados de vida, e é muito importante ter uma junta de freguesia ao pé das pessoas para poder servir e assinar essas declarações”, dizia um local da Boalhosa.

 

Antigo couto da Ordem de Malta

A Boalhosa, através do seu fresco verde, é uma freguesia rural com ótimas condições para contacto com a natureza. Nela nasce o Rio Trovela, afluente do Lima. Está a 15 quilómetros da Vila de Ponte de Lima e faz fronteira com dois concelhos diferentes: Ponte da Barca e Vila Verde. Nas suas armas, a freguesia ostenta a preciosa cruz da Ordem de Malta.Juntamente com Queijada, a Boalhosa foi um couto desta antiquíssima ordem religiosa e militar.