Politica

Marcelo lamenta morte de português em prisão na Indonésia

Português é uma das 41 vítimas mortais do fogo que devastou uma prisão na Indonésia.


O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou, esta quarta-feira, a morte de um cidadão português num incêndio numa prisão da Indonésia.

“O Presidente da República apresenta sentidas condolências à família do cidadão português que se encontra entre as vítimas mortais do incêndio na prisão de Tangerang em Jacarta na Indonésia, lamentando as trágicas circunstâncias da morte deste compatriota”, lê-se numa nota publicada no site oficial da Presidência da República.

Sublinhe-se que em declarações à RTP3, a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, confirmou que havia um português entre as vítimas do fogo e explicou que este “não tinha família” naquele país.

“Estava um português nesse local onde o incêndio deflagrou e foi uma das vítimas. Fomos notificados pelas autoridades indonésias. Era um português que os serviços consulares da embaixada acompanhavam e apoiavam desde que estava na prisão, já há alguns anos”, começou por dizer. “Já contactámos a família, prestámos as nossas condolências e também a nossa disponibilidade para prestar todo o apoio que for necessário agora no seguimento desta tragédia”, acrescentou.

Segundo a governante, foi contactado “um membro da família” do português, que está a gerir a situação no núcleo familiar. O executivo “aguarda” o seu “contacto” para a prestação do apoio necessário nestas circunstâncias, de acordo com as decisões da família.

“Estamos a aguardar que nos digam se têm necessidade de algum apoio e também que tomem decisões para o seguimento da situação. Ou seja, nós, neste momento, estamos a aguardar as decisões da família e aquilo que nos comunicarem iremos apoiar e acompanhar, dentro daquilo que for possível”, sublinhou.

Recorde-se que pelo menos 41 reclusos morreram e dezenas ficaram feridos na sequência de um incêndio na prisão sobrelotada de Tangerang, localizada nos arredores de Jacarta, na noite de terça-feira. As causas do fogo estão ainda a ser investigadas, embora uma investigação preliminar aponte para a possibilidade de o fogo ter tido origem num curto-circuito.