Politica

Desejosa. Freguesia em Tabuaço está pronta para, após as vindimas, confiar a junta a um independente

A Desejosa, que foi, nos últimos anos, governada pelo PS, prepara-se para rodar a bússola política.


A Desejosa. Parece o nome de uma terra santa. Desejosa é o nome doce de uma terra que, por esta hora, estará a começar a sentir o doce das suas primeiras pingas de vinho novo. Tem 117 habitantes e, situada no concelho de Tabuaço, distrito de Viseu, trata-se de uma das menos numerosas freguesias do país. É, curiosamente, a duas paróquias, que se situa a freguesia mais menos populosa do país de facto: Paradela e Granjinha – já nestas páginas retratada -, com 99 habitantes.

A Desejosa é PS há já alguns anos. Na oposição, claro, tinha a Direita – através de uma coligação PSD/CDS. Em 2017 a aldeia foi quase toda às urnas. Entre 153 inscritos, 77 votaram no PS – que significou 64,7% dos votos – e outros 40 votaram na coligação de Direita – que teve 33,6% dos votos. Acrescentando dois votos em branco, somam-se então 119 votantes, o que, num universo de 153 eleitores, significa ter havido uma taxa de abstenção baixa: 22,3%. Assim, em 2017, elegeu-se Manuel Carvalho Costa como Presidente da Junta de Freguesia da Desejosa. Note-se, contudo, que os desejos socialistas da Desejosa não são acompanhados pelos seus conterrâneos do concelho de Tabuaço, que é governado por uma coligação PSD/CDS.

Até 2017, quem estava ao leme da freguesia era Faustino de Jesus Macedo, também do Partido Socialista. Já quanto às eleições autárquicas de 2021, apesar de estarmos a duas semanas destas, nada está decidido pelas bandas da Desejosa. Ao que o i apurou, haverá apenas uma candidatura e será independente: “Unidos pela Desejosa e Balsa” – é o nome da candidatura que será encabeçada por… Faustino de Jesus Macedo, antigo Presidente da Junta da Desejosa pelo Partido Socialista. Confirmando-se a candidatura única, Faustino de Jesus recuperará a junta de freguesia que governou ao longo de doze anos.

 

Vinho e Chanfana

A freguesia da Desejosa é composta por duas localidades – Desejosa e Balsa do Douro. Apesar do foral apenas ter sido recebido em 1514, em 1291 D. Dinis já fazia referência à Desejosa. As suas gentes “tratam o ofício por tu”, passando os seus dias a trabalhar, seja na vindima – que, agora que desponta, se torna num dos momentos altos do anos -, seja na agricultura. Os seus visitantes evidenciam-lhe a ótima qualidade do vinho e da comida. Quanto à ultima, destaque para a Chanfana que, embora originalmente fazendo parte da zona da Beira Litoral, vem sendo adotada pelo povo da Desejosa (a Chanfana é um prato tradicional português feito à base de carne de cabra velha, assada dentro de caçoilas de barro em fornos a lenha, e mergulhada em vinho tinto, alho e folhas de louro).