Sociedade

CGTP reivindica aumentos salariais

Valor superior ao de 2021.


A CGTP realizou a primeira reunião da sua comissão executiva no dia 30 de agosto para desenhar a proposta de política de rendimentos. Ainda que, contactados pela agência Lusa, os dirigentes se tenham escusado a adiantar valores, uma das fontes contactadas disse que

O valor a reivindicar nunca será inferior ao do ano passado, devendo até ser superior. No caderno reivindicativo aprovado há um ano a CGTP reivindicava para 2021 aumentos salariais de 90 euros para todos os trabalhadores e um salário mínimo de 850 euros. Deste modo, o referencial para 2022 deverá rondar os 100 euros.

Apesar de não ter falado em números, a secretária-geral da Intersindical, Isabel Camarinha, disse à agência Lusa que “é preciso aumentar significativamente os salários dos trabalhadores” para contrariar o modelo de baixos salários. “O modelo de baixos salários precisa de um choque. Não chega um aumento no valor da inflação”, declarou, acrescentando que é preciso investir nos salários dos trabalhadores e nas suas carreiras, o que não tem acontecido. Assim, o combate à precariedade, o respeito pelos direitos laborais e a redução dos horários de trabalho serão outras das reivindicações a aprovar no Conselho Nacional.