Politica

Piodão. As paredes são de xisto acastanhado, os telhados de lajes anegradas e a junta alaranjada

Piódão perdeu, em 70 anos, mil habitantes. Hoje tem 120: que parecem convergir.


A freguesia é a de Piódão, mas os locais, além de a tratarem por tu, tratam-na no masculino: o Piódão, o lugar de Piódão. Em 70 anos, o Piódão, concelho de Arganil, distrito de Coimbra, perdeu mil habitantes: em 1950, 1125 viviam na bela aldeia em formato presépio sentada na Serra do Açor. Hoje, vivem 120. Apesar da descida a pique da população, esta foi contrastada com uma subida a pique da popularidade da terra. Afinal, Piódão é uma daquelas 27 históricas aldeias de bonecas, construída por paredes de xisto a beijar telhados de lajes. Por essa razão, e ao contrário de muitas das aldeias já retratadas nestas páginas, sobre Piódão há muito a dizer. Comecemos pelo que nos trouxe, digitalmente, cá: a política.

Piódão é PSD. O atual Presidente da Junta, José da Conceição Lopes, atira-se, nestas eleições, para o seu terceiro e último mandato, novamente pelo PSD. Em 2017, PSD, PS e CDU mediram forças em Piódão (repetindo assim a disputa de 2013). Nessas últimas eleições, o PSD venceu com uma margem razoável: 64 votos deu-lhes 56,6% das urnas, enquanto 38 votos no PS resultaram em 33,6%. A CDU teve dois votos (menos que os em branco e os nulos – três e seis, respetivamente). Dos 161 inscritos para votar, 113 foram às urnas: o que resultou numa taxa asbtencionista que nem chegou aos 30%. Muito alaranjados, por isso, os habitantes do Piódão, algo que encontra eco no concelho a que pertence. Em 2017, Ricardo Alves, também alaranjado, terminou o seu último mandato à frente de Arganil. Seguiu-se-lhe Luís Paulo Costa, atual presidente de Câmara de Arganil, que, através de uma presença muito limpa e bem divulgada nas redes sociais, se atira para o seu segundo mandato.

 

O Senhor Presidente da Junta

Ao que o i apurou, tudo indica que José da Conceição Lopes, dono do restaurante “O Fontinha”, será mesmo o único candidato à Junta de Piódão, o que, naturalmente, determina a sua vitória.  O atual presidente da Junta, descreve-nos o website Aldeias de Memória, nasceu no Piódão em 1962. Ainda com 13 anos, após uma aventura de três meses em Lisboa, onde serviu refeições e foi moço de recados, voltaria ao Piódão para ajudar a cavar terrenos, “à mão”. Aos 18, retornará a Lisboa, por onde se manteve até aos 26. No fim dos anos 80, o seu pai decidira abrir um restaurante-mercearia-taberna na sua terra, o que ditou o regresso de José Lopes ao Piódão, terra onde viria a casar e… governar, pelos menos até 2025.

Se se está a viver muito estas autárquicas em Piódão? “Um bocadinho”. Se há cartazes? “Sim, do Sr. Presidente do Município e do Sr. Presidente da Junta de Freguesia”. Não obstante, “anda tudo muito calmo e não se nota nada diferente do que se vê nos outros anos”, conta ao i um local.