Sociedade

Quatro anos depois, este comboio pára em Arroios. Veja as imagens

O ministro do Ambiente anunciou, em março de 2017, que a estação de metro de Arroios iria encerrar em julho desse ano. A previsão de João Pedro Matos Fernandes seria de que as obras durassem cerca de um ano e meio, no entanto, demoraram quatro anos.

Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa
Metropolitano de Lisboa

A estação de Arroios do Metropolitano de Lisboa reabriu esta segunda-feira, após quatro anos de obras. A ‘nova’ estação tem agora capacidade para receber comboios de seis carruagens e está “dotada de elevadores que lhe conferem acessibilidade plena”.

Recorde-se que o ministro do Ambiente anunciou, em março de 2017, que a estação de metro de Arroios iria encerrar em julho desse ano. A previsão de João Pedro Matos Fernandes seria de que as obras durassem cerca de um ano e meio, no entanto, demoraram quatro anos.

“A obra de remodelação e ampliação da estação Arroios da linha Verde do Metropolitano de Lisboa teve início em julho de 2017, com conclusão prevista para o primeiro semestre de 2019. Por motivos de incumprimentos contratuais da empresa então contratada e tendo em conta, igualmente, o interesse público subjacente à execução dessa empreitada, o Metropolitano de Lisboa viu-se obrigado, em janeiro de 2019, a rescindir o contrato respetivo, tendo o novo concurso sido relançado em fevereiro de 2019”, explica o Metropolitano de Lisboa em comunicado.

A empreitada, com um investimento de 6,67 milhões de euros, incluiu “a remodelação dos átrios (abrangendo a reorganização dos espaços de apoio à exploração) e a introdução de dois elevadores cais/átrio/cais e um elevador átrio/exterior/átrio tendo em vista dar continuidade ao cumprimento legal das várias obrigações em matéria de acessibilidades”.

Agora, 41 das 56 estações de metro de Lisboa “dispõem de acesso entre a superfície e o cais de embarque para pessoas com mobilidade reduzida”.

Na ótica do Metropolitano, a intervenção vai “melhorar a qualidade do serviço na rede para benefício dos milhares de clientes que diariamente utilizam o Metro de Lisboa, principalmente para os moradores da zona de Arroios, que já não terão de se deslocar até às estações Alameda ou Anjos para aceder ao metro”.

“O comércio e os serviços locais vão, igualmente, beneficiar com esta reabertura que irá revitalizar o movimento da zona. Localizada na Praça do Chile, a estação Arroios, com os seus quatro acessos, é uma das principais estações numa das freguesias com mais população na cidade de Lisboa”, sublinha.