Economia

Setor cervejeiro contribui para 1,5% do PIB

Por cada 1 euro investido nos cervejeiros portugueses a economia nacional é beneficiada em 2,48 euros.


Cerca de 1,5% do produto interno bruto (PIB) – 2602 milhões de euros – têm origem no setor cervejeiro, que emprega, direta e indiretamente, mais de 50 mil pessoas. Os dados foram revelados por um estudo da Universidade Nova SBE. Feitas as contas, por cada um euro investido nos cervejeiros portugueses a economia nacional é beneficiada em 2,48 euros.

Na última década, 2019 representa o marco histórico da indústria da cerveja em Portugal, pois foi o ano com o maior volume de produção desde 2014, atingindo os 710 milhões de litros, e o maior volume de consumo doméstico desde 2010, registando o pico de 550 milhões de litros de cerveja. Responsável por 51 739 empregos diretos e indiretos :1,69% dos empregos gerados e/ ou mantidos em Portugal, quase o dobro de empregos nas indústrias às quais compra face aos que gera no próprio setor. 

Em termos de rendimento de trabalho, a fileira da cerveja impactou a economia com 821 milhões de euros, representando 1,22% do rendimento total nacional. Cada colaborador do setor contribuiu, nesse ano, com cerca de 112.633 €, 1,5 vezes mais do contributo médio de um trabalhador do Setor das Bebidas e 2 vezes mais do valor estimado para um trabalhador na Economia Portuguesa, levando à conclusão que se Portugal fosse tão produtivo quanto o sector cervejeiro, teríamos o nível de desenvolvimento dos EUA.

Atualmente composto por cerca de 100 empresas produtoras – das quais 96 são microcervejeiras - sediadas em 74 localidades, ao longo de 22 concelhos de Portugal, os cervejeiros nacionais são responsáveis, no que respeita ao setor das bebidas, por cerca de 18% da produção total e por 30,5% do valor acrescentado no país. Em matéria de caracterização de emprego, o setor cervejeiro apresenta valores acima da média: mais de metade (53,9%) recebem um salário bruto anual entre 10 mil e 20 mil euros. 

O secor cervejeiro é mais qualificado do que a média nacional e 26,33% dos trabalhadores com Licenciatura, 58,2% com Mestrados e 33,3% dos Doutorados de todo o setor das bebidas trabalham nos cervejeiros em Portugal. Para além destes dados, o setor assegura uma maior segurança e estabilidade no trabalho, contando com uma maior percentagem de contratos sem termo (78%) comparativamente ao setor das bebidas (77%) e ao resto da economia (64%).