Sociedade

Três anos e meio de pena suspensa para instrutor que matou guarda prisional em carreira de tiro

Tribunal de Paços de Ferreira considerou que o protocolo de segurança que o instrutor não cumpriu teria evitado a morte da vítima.


O instrutor da carreira de tiro que atingiu mortalmente uma guarda prisional, durante uma formação na carreira de tiro da cadeia de Paços de Ferreira em novembro de 2018, foi condenado, esta quinta-feira, a uma pena suspensa de três anos e seis meses.

O Tribunal de Paços de Ferreira deu como provado que o formador não cumpriu o protocolo de segurança, a que estava obrigado e que poderia ter evitado a morte da mulher, de 30 anos.

O instrutor apontou e disparou uma arma sobre a jovem, atingindo-a no peito, sem verificar os carregadores.

Foi ainda condenado a pagar uma indemnização de 120 mil euros aos pais da vítima.