Internacional

Sequoias gigantes cobertas em alumínio resistente ao fogo devido aos incêndios na Califórnia

Os bombeiros tentam proteger as árvores gigantes dos fogos que se aproximam do Parque Nacional Secuoya, onde se encontra a maior árvore do mundo: soma 1.487 metros cúbicos, chega aos 84 metros de altura e conta com uma circunferência de 31 metros ao nível do chão.

 


Os bombeiros dos Estados Unidos da América (EUA) começaram a cobrir, na passada quinta-feira, várias sequoias antigas, entre as quais a maior árvore do mundo, "em volume", de nome General Sherman, em alumínio resistente ao fogo, para as proteger das chamas que ameaçavam o Parque Nacional Secuoya, na Califórnia, que contém cerca de 2.000 árvores.

A General Sherman soma 1.487 metros cúbicos, chega aos 84 metros de altura e conta com uma circunferência de 31 metros ao nível do chão, segundo o National Park Service, citado pelo The Guardian. As chamas forçaram a evacuação do parque, numa altura quem que a Califórnia sofreu de uma longa linha de intensos fogos ao longo deste verão.

“Estão a ser tomadas medidas extraordinárias para proteger estas árvores”, informou Christy Brigham, porta-voz do parque, ao jornal local The Mercury News. Para além da proteção de alumínio, os bombeiros também limparam a área. Era esperado que os incêndios que atingiram a região conseguissem chegar à chamada Floresta Gigante, também no Parque Nacional Secuoya, onde se encontram as 2.000 árvores. No local estavam 356 bombeiros. “Embora tenhamos feito todo este fogo prescrito e sintamos que o comportamento do fogo quando lá chegar — se lá chegar — será bastante moderado, queremos fazer tudo o que realmente pudermos para proteger estas árvores de 2.000 e 3.000 anos de idade”, disse Brigham.

Também no ano passado um incêndio engoliu várias árvores da mesma espécie. Mas a cautela com os fogos não vem de agora: já desde a década de 1970 que os trabalhadores do parque retiram árvores menores e arbustos para que as chamas fiquem controladas e permaneçam mais junto ao solo e, assim, as árvores colossais possam estar mais em segurança.

Mas o fogo até pode ser um amigo destas espécies, ajudando-as a libertar sementes e criando condições que estimulam o seu crescimento. Contudo, o exagero e a intensidade dos incêndios, que estão alimentados pelas alterações climáticas, podem ser letais.