Sociedade

Detidos restantes suspeitos de grupo que raptou menina de 13 anos para casar e ter relações sexuais com jovem da mesma idade

Factos ocorreram em Leiria e na Marinha Grande. Grupo tentou ainda matar o pai da criança por recusar casar a filha. 


A Polícia Judiciária (PJ) deteve, esta terça-feira, três suspeitos dos crimes de rapto, tentativa de homicídio, danos com arma de fogo e abuso sexual de criança, nas cidades de Leiria e Marinha Grande.

Segundo revela a autoridade, em comunicado, esta quarta-feira, a operação decorreu na sequência de outras detenções já realizadas a 22 de junho deste ano, no âmbito do mesmo inquérito. Na altura “foram detidos cinco indivíduos pela suspeita da prática dos mesmos factos”, que ficaram sob a medida de coação de prisão preventiva.

“A factualidade imputada a todos os suspeitos ocorreu num fim de semana do mês de junho e foi despoletada pela recusa de uma família em aceitar o ‘casamento’ da sua filha de 13 anos de idade com um rapaz de igual idade”, recorda a PJ.

Os suspeitos, familiares do rapaz, “agora todos detidos e indiciados por aqueles crimes, encetaram diversas ações criminais que, num primeiro momento, se consubstanciaram na tentativa de assassinato a tiro do pai da menor, danos com arma de fogo, nomeadamente numa viatura e numa casa, e tentativa de rapto da criança”. Num segundo momento, consumaram o rapto para que a menor “consumasse relação sexual com o forçado pretendente, acabando por ser libertada no dia seguinte”.

Os detidos têm idades entre os 24 e os 30 anos, não têm ocupação laboral conhecida e possuem todos antecedentes policiais e criminais.

Os suspeitos serão presentes a autoridade judiciária para aplicação de medidas de coação.

A PJ destaca que na efetivação destas detenções contou com a colaboração da PSP da Marinha Grande.