Sociedade

Suspeitos de raptarem menina de 13 anos para forçar casamento em Leiria ficam em prisão preventiva

São suspeitos dos crimes de rapto, tentativa de homicídio, danos com arma de fogo e abuso sexual de criança. No total, há oito detidos. 


Dois dos três homens detidos, na terça-feira, suspeitos dos crimes de rapto, tentativa de homicídio, danos com arma de fogo e abuso sexual de criança, nos concelhos de Leiria e Marinha Grande, vão ficar a aguardar julgamento em prisão preventiva.

Segundo avançou fonte da Polícia Judiciária (PJ) à agência Lusa, o terceiro arguido ficou em liberdade, condicionada a apresentações periódicas.

A detenção dos três indivíduos surgiu na sequência de outra, efetuada a 22 de junho. Na altura, três homens e duas mulheres, entre os 26 e os 51 anos, foram detidos por suspeitas dos mesmos crimes,

Os crimes ocorreram durante um fim de semana daquele mês, contra a família de uma menina, de 13 anos, que não aceitou o casamento da menor com um rapaz da mesma idade. Os suspeitos “reagiram a tiro contra o pai da menor, provocando danos com arma de fogo em diversos bens, nomeadamente numa casa de habitação e numa viatura”, explicara a PJ.

“Usando grande violência, os suspeitos terão raptado a menor, no intuito de a constrangerem a ‘casar’ com o rapaz e a manter relacionamento sexual, acabando a vítima por ser libertada, no dia seguinte, pelos presumíveis raptores”, acrescentara.