Sociedade

Suspenso professor de Póvoa de Varzim acusado de fazer vídeos obscenos

“Sugeriu aos alunos que o seguissem no seu canal de You Tube, onde aparece nu, em trajes menores e de biquíni”, conta o pai de um aluno.


Um professor de uma escola da Póvoa de Varzim foi suspenso, na sequência de ter sido instaurado contra si um processo disciplinar, devido ao facto de aparecer em vídeos, no YouTube, considerados obscenos.

O docente também não usaria corretamente a máscara nas aulas e chegou a gabar-se aos alunos de não ter sido vacinado contra a covid-19.

"O docente foi suspenso, no seguimento do processo disciplinar, com pedido de suspensão preventiva, instruído esta quarta-feira pelo diretor da escola", confirmou o Ministério da Educação, em comunicado, citado pelo Jornal de Notícias, que denunciou o caso esta quinta-feira.

"Gabou-se na aula de apresentação de não ser vacinado, ‘que era tudo uma mentira’ e deu a sua aula com a máscara no queixo. Sugeriu aos alunos que o seguissem no seu canal de You Tube, onde aparece nu, em trajes menores e de biquíni. O estado da saúde mental deste professor é grave e é um perigo para os alunos e comunidade escolar", sublinhou, ao mesmo jornal, o pai de um dos alunos do docente.

Já na quarta-feira, o comportamento do professor motivou a ida das autoridades à escola, após a PSP ter recebido uma de denúncia de que o professor estaria a dar aula sem máscara.

Os encarregados de educação, no mesmo dia, fizeram saber à direção da escola que defendem que o docente "não apresenta conduta, nem condições" para dar aulas e exigiram a sua substituição.

Ao final da tarde, face às queixas e à pressão dos pais o diretor da escola instaurou ao docente um processo disciplinar e pediu a sua suspensão imediata.

Esta quinta-feira de manhã, chegou a resposta da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, que deu provimento ao pedido e suspendeu o professor com efeitos imediatos.