Biblioteca Pessoal

Regras Internacionais de Etiqueta Alimentar

De Espanha à Mongólia, a passar por França e Filipinas, há regras que podem impressionar pela positiva ou negativa. Tenha atenção.


por Vasco Ribeiro

Com o retorno à normalidade possível e com o retomar das viagens para o estrangeiro, seja em lazer e/ou trabalho, torna-se essencial fazer boa figura nos países que visitar. Por isso, tome nota e coloque em prática as seguintes regras internacionais de etiqueta alimentar, segundo 8 países:

Espanha: faça o máximo uso dos talheres para comer, é bastante incomum comer com as mãos, incluindo os lanches. Molhar o pão na sopa é considerado um gesto bastante deselegante e muito grosseiro. Os jantares são mais tardios, pois são servidos entre as 21 e as 22h. Os espanhóis apreciarão se estiver sem os cotovelos na mesa. Na maioria das circunstâncias, vista-se de forma mais conservadora (formal).

Estados Unidos: espere que o anfitrião se sente sempre em primeiro lugar, dando-lhe precedência e sente-se de seguida, nunca antes dele. Jamais sopre a sua comida, mesmo que esteja demasiado quente, ou até mesmo a ferver, deve aguardar.

Etiópia: o comum é que exista sobretudo partilha da comida numa mesa etíope. Os etíopes consideram um autêntico desperdício os pratos individuais. Os alimentos são sempre divididos através um prato único – é colocada uma travessa no centro da mesa e todas as pessoas sentadas à mesa se servem dessa travessa comum sem usar talheres. Retire a comida da parte da travessa que se encontrar mais próxima da sua mão (atravessar a mão por cima da travessa é considerado um gesto incorreto para os etíopes). Se quiser chamar o empregado de mesa bata palmas. Lamber os dedos durante uma refeição é uma extrema falta de boas maneiras.

Filipinas: encha a bebida de quem o está a acompanhar sempre que o copo estiver meio vazio. O ideal é chegar ao almoço/jantar cerca de 15 a 30 minutos antes da hora marcada.

França: parta primeiro o pão em pedaços pequenos em vez de trincar. Nunca coloque queijo na fatia do seu pão. Nunca se lembre de sugerir a divisão da conta, já que os franceses ficam bastante insatisfeitos com esta atitude. Assim, não se ofereça para pagar a conta, deve esperar que a outra pessoa a pague. No limite, caso não se verifique essa atitude, faça-o discretamente sem anunciar a sua intenção. É de manter as mãos na mesa e cotovelos fora dela.

Geórgia: não basta provar o vinho na Geórgia. O brinde tem muito que se lhe diga para os georgianos, uma vez que valorizam o discurso antes de se saborear o vinho. Depois, o vinho deve ser bebido até ao final duma só vez.

Grécia: elimine qualquer sinal gestual em que mostre as palmas das suas mãos abertas após um jantar, os gregos são demasiado sensíveis pela negativa. Neste contexto, quando se estiver a despedir aponte as palmas das mãos para dentro, como se fosse membro da família real.

Mongólia: mantenha sempre a palma da mão voltada para cima quando segurar copos. Entornar leite ou laticínios simboliza um mau presságio, equivalente a má sorte.