Internacional

Presidente da Coreia do Sul admite proibição de consumo de carne de cão

O próprio chefe de Estado tem vários cães na sua residência.


O Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, admitiu, esta segunda-feira, a possibilidade de proibir o consumo de carne de cão. Segundo fonte do seu gabinete, o costume tornou-se “uma vergonha internacional”.

"Não terá chegado o momento de considerar prudentemente a proibição do consumo de carne de cão?", disse Moon ao primeiro-ministro, Kim Boo-kyum, de acordo com a porta-voz presidencial citada pela agência France-Presse.

O consumo de carne de cão é um costume popular no país, mas a sua popularidade tem diminuído nos últimos anos. Os sul-coreanos passaram a ver os cães mais como animas de companhia e menos como alimento.

O próprio chefe de Estado tem vários cães na sua residência e resgatou um rafeiro após tomar posse – o primeiro animal a ser levado de um centro de acolhimento para o palácio presidencial.