Internacional

Explosão em prédio na Suécia pode ter tido origem em violência de gangues

A Suécia tem registado um aumento de violência com armas de fogo nos últimos anos.


Uma explosão num edifício em Gotemburgo, na Suécia, esta terça-feira, provocou pelo menos 25 feridos.

As autoridades estão a investigar a possibilidade de o incidente ter sido provocado por um explosivo deixado no edifício, depois de os Serviços de Emergência terem descartado a possibilidade deste caso ter sido provocado por uma fuga de gás.

O Hospital Universitário Sahlgrenska confirmou que entre os feridos foram registadas três mulheres e um homem em estado grave, avançou a imprensa internacional.

A explosão ocorreu numa zona residencial e os bombeiros ainda combatem as chamas, tendo sido retiradas algumas centenas de pessoas das proximidades do local.

“Vários apartamentos foram afetados. Neste momento não é claro o que causou a explosão”, informaram os serviços de emergência suecos.

As autoridades estão a investigar as causas do acidente, numa altura em que o país está a enfrentar um aumento de crimes ligados a gangues, com estes grupos rivais a usar “explosivos e armas de fogo para assentar contas”, escreve o Guardian.

Um relatório publicado este ano revela que a Suécia, nas últimas duas décadas, passou de ser um dos países com a taxa de violência por armas mais baixa da Europa para um dos países mais violentos.

A Reuters descreve que as detonações de bombas tornaram-se um acontecimento semanal comum neste país, apesar de ser raro existirem relatos de feridos, apontando apenas como exceção um caso em que uma bomba explodiu numa zona residencial a sul de Linkoping, em 2019, que provocou pelo menos 20 feridos ligeridos.

“É um acontecimento terrível”, disse o ministro do Interior, Mikael Damberg, citado pela agência de notícias TT. “Tenho grande confiança que as autoridades policiais possam usar todos os seus recursos para descobrirem o que é que realmente aconteceu”.

O primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, afirmou que era demasiado cedo para especular sobre o que efetivamente aconteceu em Gotemburgo. No entanto, alertou que a sociedade iria responder caso os autores do crime fossem criminosos.

“Como sociedade, vamos fazer todos os possíveis para combater a violência e crimes de gangues”, disse Lofven durante uma conferencia de imprensa. “As pessoas devem poder sentir-se seguras”, concluiu.