Internacional

Sarkozy declarado culpado de financiamento ilegal de campanha em tribunal

Antigo Presidente não esteve presente na sala de audiência.


O Tribunal Criminal de Paris declarou, esta quinta-feira, o antigo Presidente francês Nicolas Sarkozy “culpado de financiamento ilegal de campanha”, no âmbito do caso "Bygmalion".

Recorde-se que o Ministério Público tinha pedido para Sarkozy uma pena de um ano de prisão, incluindo seis meses de prisão efetiva, por "financiamento ilegal da campanha eleitoral", através de um esquema de dupla faturação das despesas da campanha eleitoral em 2007.

O antigo chefe de Estado, que ocupou o cargo entre 2007 e 2012, não esteve presente na sala de audiência, segundo a imprensa francesa.

O caso "Bygmalion", tinha como arguidos, além de Sarkozy, outros 13 pessoas.

Jérôme Lavrilleux, ex-diretor adjunto da campanha de Sarkozy, foi o primeiro a confessar ter participado no esquema que assentava em faturas falsas, despesas desvalorizadas e despesas voluntariamente omitidas das contas submetidas ao controlo final. O Ministério Público requereu para Lavrilleux uma pena suspensa de três anos de prisão e uma multa de 50 mil euros.

Três ex-dirigentes da empresa Bygmalion, organizadora das reuniões da campanha de 2007 e que dá nome ao caso, reconheceram a fraude, à exceção de Bastien Millot, o fundador da empresa. Franck Attal, Bastien Millot, Sébastien Borivent e Guy Alves foram declarados culpados.